São Caetano bate Peñarol nos pênaltis

O São Caetano é semifinalista da Copa Libertadores da América. Outra vez a vaga só foi garantida na cobrança de penalidades máximas, depois da vitória no tempo normal por 2 a 1, nesta terça-feira à noite, no Estádio Anacleto Campanella, no ABC. Como o time brasileiro perdera o primeiro jogo por 1 a 0, em Montevidéu, a decisão foi para os pênaltis. Nova vitória do Azulão: 3 a 1. As faixas do campeão uruguaio foram mesmo carimbadas. O São Caetano, agora, enfrenta o vencedor do confronto entre dois times mexicanos: América e Morelia. A vaga será definida na quinta-feira, com o América entrando em vantagem por ter vencido o primeiro jogo, por 2 a 1, fora de casa, podendo garantir a sua presença nas semifinais diante de sua torcida. Os planos do técnico Jair Picerni, do São Caetano, de atacar desde o início acabaram comprometidos logo no primeiro minuto de jogo quando o Peñarol abriu o placar. Após a cobrança de escanteio de Bengoecochea, o goleiro Silvio Luiz falhou e a bola sobrou para Jiménez, com o gol livre, só para completar. A partir daí, o Azulão só chegaria às semifinais com três gols. O inesperado e rápido gol tirou a tranqüilidade dos brasileiros, que levaram alguns minutos para se restabelecerem no campo. De repente, se tornou um time afoito e precipitado. Aos poucos o Azulão foi se soltando e as chances apareceram, mas foram desperdiçadas, como já tinha acontecido nos últimos jogos. A principal jogada ofensiva do São Caetano era o jogo aéreo para Somália. Mas o time sentia muita dificuldade para superar a bem armada defesa adversária, com três zagueiros e dois volantes plantados, formando uma verdadeira muralha. De tanto insistir, o São Caetano chegou ao empate com Jean Carlos. Ele só completou, quase em cima da linha de gol, uma falta cobrada por Adãozinho que foi desviada por Daniel. Tudo igual aos 27 minutos. No segundo tempo, Picerni tentou ganhar mais agressividade com a entrada do meia Robert no lugar do volante Serginho. O time uruguaio, por sua vez, sentiu a pressão e se posicionou na defesa. Mas os primeiros minutos do São Caetano foram de pressão total. Como prêmio saiu o segundo gol. Após uma bela troca de passes, o meia Aílton colocou Somália na frente do goleiro. O atacante teve calma para tocar por cima e marcar aos nove minutos para delírio dos 8.364 torcedores. A melhor chance de marcar o terceiro gol aconteceu aos 42 minutos, quando Somália acertou a trave. A decisão, porém, foi mesmo para os pênaltis, como já tinha acontecido contra o Universidad Católica, do Chile. Adãozinho iniciou a série e perdeu, porque bateu no meio do gol e o goleiro Berbia defendeu. Bengoecochea fez 1 a 0 para os uruguaios. Na seqüência, Marcos Senna, Marlon e Robert marcaram para o São Caetano, enquanto Carlos Bueno chutou no travessão, Rotundo mandou para fora e Lima acertou a trave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.