Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Caetano com obrigação da vitória

O São Caetano quer manter vivas suas esperanças de alcançar os líderes do Campeonato Brasileiro, Santos e Atlético-PR, e se manter entre os primeiros colocados. Por causa disso, passa a ser fundamental uma vitória sobre o Paysandu, neste domingo, às 16 horas, no estádio Anacleto Campanella, no ABC.O Azulão, atual campeão paulista, defende a quarta posição, com 59 pontos, igual número de pontos do que o São Paulo, terceiro colocado, e o Juventude, quinto. "Estes números comprovam o equilíbrio entre os clubes. Então, não podemos perder chances em nosso campo", diz o experiente lateral direito Ânderson Lima.Mas a missão do técnico Péricles Chamusca ficou facilitada ao poder confirmar a mesma formação que empatou com o Botafogo, por 1 a 1, em Niterói, na última rodada. Mesmo assim, ele acha importante o respeito ao adversário. "Não se ganha jogo na véspera. Precisamos fazer de tudo para ganhar, jogando feio ou bonito", comentou Chamusca.O time está bem preparado fisicamente, depois de ficar quatro dias concentrado na Estância Santa Filomena, em Jarinu. O grupo também trabalhou taticamente e até reforçou o aspecto psicológico com Evandro Remonti.O São Caetano manterá o esquema 3-5-2. Ceará continuará improvisado na lateral-esquerda, uma vez que Triguinho só voltará nas últimas rodadas. Mas o novo titular não se aflige com o fato de não jogar na sua real posição, que é a lateral direita. No clube ele já atuou nas duas laterais, na defesa e até no meio campo."O importante é que estou ajudando o São Caetano a somar pontos", comentou. Péricles Chamusca também fez questão de dar moral para seu curinga: "Ele tem sido importante no nosso esquema de trabalho, não só por sua condição técnica como por sua disposição e garra".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.