São Caetano confirma cinco mudanças

Mesmo bastante modificado, o São Caetano está definido para enfrentar o Santos, domingo, às 16 horas, no estádio Anacleto Campanella. Estão confirmadas as entradas de cinco jogadores, que já vinham treinando entre os titulares desde o início da semana. O atacante Fernando Baiano, que enfrentou problemas musculares, vai ficar como opção no banco de reservas.Mas o técnico Péricles Chamusca foi reticente ao anunciar as mudanças do time em relação ao que caiu diante do Atlético-PR, por 5 a 2, em Curitiba. "O nosso grupo é muito homogêneo, com jogadores versáteis e inteligentes. Quem entrar já saberá o que exec utar em campo, embora não tenha o mesmo ritmo de quem vem jogando", afirmou Chamusca.As mudanças começam pelo gol, onde Sílvio Luiz, recuperado de uma lesão muscular na coxa direita, ocupará a vaga de Fabiano.Como terceiro zagueiro, Marcos Aurélio entra na vaga de Dininho, suspenso com três cartões amarelos. A ausência do lateral direito Ceará, suspenso, será suprida pelo deslocamento de Mineiro, que já atuou várias vezes pelo setor. "Não é minha posição ideal, mas posso desempenhar normalmente neste jogo", resignou-se um dos mais regulares do time durante toda a temporada. A sua vaga no meio campo será ocupada pelo volante Paulo Miranda.Ainda no meio campo, Lúcio Flávio ocupará a vaga de Marcinho que será improvisado no ataque para ocupar a vaga de Fernando Baiano. A falta de Fabrício Carvalho, artilheiro do time com 18 gols, será preenchida pela volta de Warley, que não teve muitas chances com Chamusca. Fernando Baiano passou a semana toda "de molho", com dores musculares, por isso deve ficar apenas como opção para o segundo tempo. Ele não teria condições físicas ideais para atuar os 90 minutos e deve ser usado apenas em parte do jogo . Tudo isso ficou bem claro no coletivo realizado na tarde desta sexta-feira no estádio Anacleto Campanella. Os jogadores voltam ao estádio neste sábado, às 9 horas, para o tradicional rachão.Apesar das declarações de vários jogadores de que o grupo continua motivado, há um misto de revolta e decepção pela decisão do STJD que penalizou o clube com a perda de 24 pontos por uso irregular do zagueiro Serginho, que morreu dia 27 de outubro, no Morumbi. Alguns até se confundem com a pontuação do clube, que teria 77 pontos conquistados dentro de campo e apenas 53 pontos na nova tabela formulada a partir da punição do Tribunal. Apesar das dúvidas, o grupo promete lutar por duas vitórias nas rodadas finais. A primeira contra o Santos e depois diante do Atlético Mineiro, em Minas Gerais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.