São Caetano controlado para decisão

Na véspera da primeira partida final da Copa Libertadores, o São Caetano praticamente trocou os treinos pela preparação psicológica para derrubar o Olímpia, seu adversário nesta quarta-feira, em Assunção, e depois dia 31, no Pacaembu, em São Paulo. Para o técnico Jair Picerni, o "grupo está concentrado" e com o "emocional controlado", duas condições básicas para levantar o inédito título sul-americano. O técnico acompanhou de longe os treinos físicos de manutenção, nesta segunda-feira pela manhã e à tarde, no Estádio Anacleto Campanella. Ele é do tipo que costuma chamar o jogador de lado e conversar no "pé de ouvido". Picerni tem, realmente, uma maneira toda peculiar de falar a linguagem dos jogadores. "É nosso grande momento. Encontramos nossa praia", reforçou o técnico, repetidas vezes, diante do assédio da imprensa. Sem perder a humildade, ele mantém uma postura de confiança e otimismo em relação à final. Garante que tudo foi feito dentro de um projeto estabelecido pela diretoria e que o bom trabalho dentro de campo conseguiu uma "boa resposta do grupo de jogadores" . Não é à toa que ele tem afirmado com convicção: "Vamos buscar este título." E para o primeiro jogo, quarta-feira, no estádio Defensores del Chaco, a única mudança será mesmo o retorno do lateral-direito Russo, que cumpriu suspensão automática, e volta no lugar do volante Marlon, que atuou improvisado no empate por 1 a 1 com o América do México. Os jogadores participam de um recreativo na manhã desta terça-feira no próprio estádio. Às 19 horas a delegação segue para Assunção, em vôo fretado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.