São Caetano deve dispensar jogadores

A mudança no comando técnico do São Caetano é somente o primeiro passo naquela que vai ser a reformulação mais profunda pela qual passará o time desde sua ascensão à elite do futebol brasileiro. Com a chegada do novo treinador, boa parte do grupo de jogadores deve ser modificada. Apenas na comissão técnica as mudanças não devem ser tão profundas.A diretoria pretende contratar um treinador ?de ponta? e Nelsinho Baptista é o mais cotado. Porém, sem contar com os mesmo recursos dos times ?grandes?, o clube do ABC não teria condição de bancar os salários de uma comissão completa, apenas do técnico. Ficariam, assim, preservados os empregos dos atuais funcionários, como médicos, preparador-físico e de goleiro e auxiliares.Já entre os atletas a situação é distinta. Nomes como os do lateral-esquerdo Rubens Cardoso, do lateral-direito Russo e do atacante Somália fazem parte de uma relação de dispensáveis. O meia Robert, que tinha contrato até o final da Taça Libertadores, é outro que está longe do ABC. Embora afirme que sua permanência não está relacionada à conquista do campeonato continental, dá a entender que seu destino vai ser a Vila Belmiro. "Eu gostaria de continuar por aqui, mas tenho de me apresentar ao Santos na semana que vem", afirmou. O meia Adãozinho e o goleiro Sílvio Luiz só esperam por propostas para tentar negociar uma transferência.Outro lado - Enquanto alguns estão de saída, outros são aguardados para reforçar o time no Campeonato Brasileiro. O principal deles é o atacante Adhemar, principal artilheiro da história do São Caetano com 45 gols. Já o zagueiro Dininho, com contrato assinado até 2004, garantiu que fica no clube. "Estou tranqüilo com relação a minha permanência por aqui", disse. A estréia da equipe será contra o Paraná, no dia 10, às 16 horas, no Pinheirão, em Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.