São Caetano e Juventude no Brasileiro

Exatos 10 dias após o polêmico encontro que visava marcar o "projeto pelo bem do futebol brasileiro", protagonizado pelo ex-jogador e ministro Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff e o ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, o Campeonato Brasileiro de 2001, mesmo antes da primeira rodada, sofreu sua primeira virada de mesa: São Caetano e Juventude foram assegurados na primeira divisão. A confirmação oficial, que vai de encontro ao que foi anunciado previamente por Teixeira, partiu do presidente da Federação Paulista de Futebol, Eduardo José Farah, que hoje, logo pela manhã, telefonou para o deputado federal Jair Meneguelli (PT-SP) para dar a notícia. "Ele me disse que já podia entrar em contato com o pessoal do São Caetano para dar a notícia, pois tudo está definido", afirmou o parlamentar, que tem sua base eleitoral em São Caetano do Sul e é um dos políticos envolvidos na briga pró-Azulão. A decisão, que pode abrir um precedente para os demais clubes brasileiros, tenta acabar com a ameaça que paulistas e gaúchos vinham fazendo de recorrer à Justiça Comum para garantir presença entre a elite do Nacional. O Departamento de Assuntos Jurídicos da Prefeitura de São Caetano do Sul já dispõe de um documento com 30 páginas, pronto para ser utilizado num eventual processo, o que só não foi feito porque o prefeito Luiz Tortorello ainda não assinou. Formato - Agora, o Campeonato Brasileiro contará com 28 equipes, sendo que seis delas serão rebaixadas e duas subirão da Segunda Divisão, deixando o Brasileiro de 2002 com 24 clubes, número considerado ideal. Com a Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão do evento e uma das maiores opositoras ao inchaço do torneio, a situação parece já estar contornada. Hoje pela manhã, Melles esteve participando de um programa da emissora acompanhado de Marcelo Campos Pinto, presidente da Globo Esportes, empresa do grupo responsável pelas negociações envolvendo futebol. Insistência - Segundo Meneguelli, mesmo com a garantia de Farah de que o time paulista conquistou a vaga na Primeira Divisão, ele não vai retirar o requerimento denominado "Pedido de Informação" que encaminhou ao Ministério do Esporte e Turismo, questionando Melles sobre os critérios adotados para a definição dos clubes que vão disputar o próximo Campeonato Brasileiro. "Primeiro achei muito estranho essa história de decidirem o torneio dentro do gabinete ministerial", disse. "Agora, me comprometo a aproveitar essa chance para continuar com essa medida, independentemente de termos conseguido colocar o São Caetano na elite."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.