São Caetano espera não ser punido

Na chegada da delegação do São Caetano, nesta quinta-feira no aeroporto de Cumbica, os jogadores e o técnico Muricy Ramalho puderam relatar os detalhes da confusão que aconteceu no estádio Azteca, após o jogo de terça-feira, contra o América, pela Copa Libertadores. Visivelmente aliviados, eles contaram que foram provocados o tempo todo pelos adversários.O lateral-direito Ânderson Lima acusou o atacante Blanco de ter feitos provocações em tom racista. "Ele me chamava o tempo todo de macaco", revelou. Além disso, há queixas de que os mexicanos também menosprezaram os brasileiros ao compararem salários - o atacante Navia teria dito que ganha US$ 100 mil por mês.De forma geral, a alegação é de que os brasileiros apenas se defenderam da violência dos jogadores e da torcida do América. A direção do São Caetano também se mostrou preocupada com a divulgação de informações, inclusive em jornais brasileiros, sobre a responsabilidade dos atletas do time do ABC na confusão. Afinal, Fabrício Carvalho e Mateus comemoraram a classificação imitando uma águia, o símbolo do time adversário."Nada teve a ver com a comemoração dos jogadores no meio-campo após o término da partida. Tudo começou quando os jogadores do América (Navia e Blanco), após o encerramento da partida, partiram para a agressão em cima do goleiro Sílvio Luiz, que estava pegando a toalha e a garrafa de água que estavam dentro do gol", explicou o diretor do clube, Genivaldo Leal.A expectativa é de que nenhum jogador do São Caetano seja citado ou penalizado por "apenas se defender". Mesmo porque, a preocupação agora é com o próximo confronto na Libertadores, contra o atual campeão Boca Juniors. O primeiro jogo será realizado no Brasil, provavelmente na próxima quarta-feira, e a decisão da vaga na semifinal acontecerá na Argentina.Por causa da cansativa viagem, de quase 14 horas, os jogadores foram liberados até sexta-feira à tarde, quando haverá um treino no Anacleto Campanella. O técnico Muricy Ramalho já avisou que pretende poupar vários jogadores diante do Figueirense, domingo à tarde, em Florianópolis, pelo Brasileiro. Um deles será o goleiro Sílvio Luiz, que sofreu um entorse no tornozelo direito. Ele deve ser substituído por Luiz, terceiro goleiro e que se reveza com Fabiano na ausência do titular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.