São Caetano faz treinos secretos

O São Caetano está absolutamente concentrado no duelo contra o Boca Juniors, quinta-feira, às 21h45, pelas quartas-de-finais da Copa Libertadores da América. Para derrubar o atual campeão da competição, o técnico Muricy Ramalho resolveu fazer do mistério a sua nova arma. O time realizou seu treinamento de portões fechados, nesta manhã, no estádio Anacleto Campanella, e deve repetir o mesmo procedimento na quarta à tarde. O técnico não precisou de muito esforço para justificar sua decisão e evitar a presença de estranhos nos treinos. Ele acha que este confronto será decidido "nos pequenos detalhes" e que, por isso mesmo, "vale a pena usar o mistério como alternativa legítima", principalmente para "esconder o jogo" para os argentinos. A verdade é que Muricy pretende usar estes poucos treinos para armar alguma surpresa ao adversário. A grande dúvida é mesmo sobre o esquema tático, uma vez que ele tem todos os jogadores à sua disposição. Na fase anterior da Libertadores, por exemplo, o time manteve o 4 -4-2, que também levou o São Caetano ao inédito título paulista. Os jogadores poupados na derrota para o Figueirense, por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, têm seus retornos assegurados. São titulares e voltam ao time o lateral-direito Ânderson Lima, o zagueiro Dininho, o volante Mineiro e o meia Gilberto. No ataque, Fabrício Carvalho está garantido, mas resta saber qual será seu companheiro. Existem três opções: Euller e Warley, atacantes de velocidade, e Somália, alternativa para o jogo aéreo. Preocupado com os "espiões" argentinos, Muricy falou pouco sobre esquema e escalação. "Nada está definido ainda. Vamos manter a base, mas estudamos algumas variações, que pretendemos manter em segredo até a hora do jogo", avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.