São Caetano ganha do São Paulo

Desanimado e sem criatividade, o São Paulo acumulou neste domingo a sua segunda derrota consecutiva no Torneio Rio-São Paulo. Após cair no clássico diante do Palmeiras, na quarta-feira, por 4 a 2, o time do Morumbi perdeu para o São Caetano, no ABC, por 1 a 0. Com o resultado, somado à vitória do Corinthians sobre o Botafogo, os são-paulinos deixaram a vice-liderança da competição. Ocupam agora o terceiro lugar, com 23 pontos. Na quinta-feira, o São Paulo vai a Florianópolis, onde enfrenta o Figueirense, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. No campeonato regional, o próximo jogo é o clássico frente ao Corinthians, domingo (mas pode ser antecipado para sábado por causa do GP de Fórmula 1), em Presidente Prudente. Já o São Caetano, agora sétimo colocado com 19 pontos, vai pegar o Flamengo, 13º com 12, fora de casa. No dia seguinte à derrota para o Palmeiras, o técnico do São Paulo, Nelsinho Baptista, afirmou que o resultado não havia abalado seus jogadores e que qualquer preocupação com o aspecto emocional do grupo era desnecessária. Pelo que seus atletas renderam neste domingo, seus conceitos devem ter mudado. Abatido e desfalcado de seus dois zagueiros titulares (Emerson e Wilson, suspensos), o grupo não foi nem sombra daquele que acumulava goleadas duas rodadas atrás. O atacante França é o exemplo máximo desse estado de espírito, seguido pelo meia Souza. Um dos problemas do São Paulo aconteceu na lateral esquerda. Quando Nelsinho decidiu escalar o improvisado Gabriel no lugar de Gustavo Nery, pensava em aumentar o poder ofensivo da equipe. Sua idéia era intensificar a movimentação pelo meio, na diagonal seguida de finalização com o pé direito, já que Gabriel é destro. No entanto, a jogada não saiu com a freqüência esperada. Para piorar, as avançadas do lateral deixaram espaços na defesa, que foram bem explorados pelo time do ABC. Assim, a equipe de Jair Picerni priorizou os lances pelas laterais. O esquema deu certo não apenas pela forma como o adversário se posicionava no campo. Também pela condição do gramado. Durante toda a partida o gramado do estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, foi castigado por forte chuva, o que inviabilizou os toques de bola pelo meio. E foi de um lance de bola parada que saiu o gol. Aos 13 minutos do segundo tempo, Adãozinho cobrou escanteio. O zagueiro Daniel desviou de cabeça para o atacante Wagner, que fez 1 a 0. Aos 28, o lateral-direito Russo, a dois passos do gol, perdeu a chance clara de fazer mais um para o São Caetano.

Agencia Estado,

24 Março 2002 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.