São Caetano mantém discurso humilde

Apesar do cansaço pela viagem de oito horas da Cidade do México até São Paulo, os jogadores do São Caetano desembarcaram no Aeroporto de Cumbica, nesta quinta-feira cedo, demonstrando muita confiança em conquistar o título da Copa Libertadores da América. Os jogos finais serão disputados contra o Olímpia, quarta-feira, em Assunção, no Paraguai, e dia 31, em São Paulo. O zagueiro e capitão do time, Daniel, puxou o coro do time: "Ainda não ganhamos nada. Só vamos comemorar alguma coisa no final do campeonato", disse, muito sério.O volante Marcos Senna praticamente confirmou o pensamento do companheiro, ressaltando que "primeiro lutamos para chegar na final, agora vamos brigar para conquistar o título". O meia Ailton também falou com a experiência de ser o único jogador no grupo a ter conquistado um torneio da Libertadores. Ele foi campeão, em 1998, pelo Cruzeiro-MG. "O grupo está unido e voltado para conquistar este título".Para o meia Robert, "o grupo está fechado com o (técnico) Jair Picerni, e sabe das dificuldades que terá nas finais". Ele também manifestou vontade de continuar no clube no segundo semestre para disputar o Campeonato Brasileiro. O presidente Nairo Ferreira de Souza já adiantou que vai propor ao Santos o reempréstimo do meia, que tem contrato somente até o final do mês.O lateral-esquerdo Rubens Cardoso vai mesmo voltar para a Vila Belmiro, embora seu passe deva ser negociado com o Palmeiras. Os jogadores foram dispensados após a chegada no estádio Anacleto Campanella. A apresentação está marcada para esta sexta-feira, às 15h30, para um treino físico. Não há nenhum problema de contusão e a única alteração no time deve ser o retorno do lateral-direito Russo no lugar de Marlon. Titular do time, Russo não atuou no empate por 1 a 1 com o América, no México, porque cumpria suspensão pela expulsão no primeiro jogo vencido pelo São Caetano, por 2 a 0.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.