São Caetano nas mãos de Silvio Luiz

Se Silvio Luiz não levar nenhum gol contra o Olimpia, quarta-feira, na decisão da Copa Libertadores, os torcedores do São Caetano já podem pensar na decisão do Mundial Interclubes, contra o Real Madrid, no final do ano, em Yokohama, Japão. Mas o o goleiro prefere não pensar muito nisso."A responsabilidade é muito grande, mas toda a equipe precisa estar atenta e fazer a sua parte", diz o goleiro, que está há cinco anos no clube do ABC. Mais do que se preocupar com o fato de levar ou não levar gols, Silvio Luiz quer quebrar o clima de ansiedade que existe sempre às vésperas de uma decisão importante. "Ansiedade é uma coisa normal em uma final, mas a gente procurar se distrair para que isso não atrapalhe", afirma. Jogar baralho com os companheiros é uma das maneiras de vencer essa situação.Para o jogador, a ida para Atibaia foi muito importante para que o time acertasse os últimos detalhes para a decisão. "O grupo está muito tranqüilo. Aqui tem muito sossego, ficamos mais juntos. Estamos prontos para fazer um bom jogo e ganhar esse título."Mesmo com a decisão da Conmbebol de escalar o árbitro colombiano Oscar Ruiz para a partida - essa era uma das expectativas do São Caetano -, o goleiro acha que é bom ter cuidado com a arbitragem. "Essa escolha é indiferente, porque o São Caetano nunca foi favorecido pela arbitragem. Teremos de jogar contra o time, que é muito perigoso, e contra o juiz", diz Silvio Luiz, que quase foi para o Corinthians, há dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.