São Caetano pega o Boca e faz mistério

O técnico Muricy Ramalho resolveu fazer mistério sobre a escalação do São Caetano para a partida desta quinta-feira à noite (21h45) contra o Boca Juniors, pelas quartas-de-final da Libertadores. O mais provável é que adote o tradicional esquema 4-4-2, com o volante Fábio Santos reforçando a marcação no meio campo ao lado dos volantes Marcelo Mattos e Mineiro. Só Gilberto teria um pouco mais de liberdade para tentar criar jogadas aos atacantes. Os volantes, porém, podem descer com a bola carregada, na tentativa de aparecer como elemento surpresa. A outra opção é reforçar a linha de zagueiros, com Gustavo entrando ao lado de Dininho e Serginho, o que daria mais liberdade para os alas, Ânderson Lima e Triguinho, apoiaram o ataque e forçarem, principalmente, os cruzamentos. No ataque, Fabrício Carvalho tem presença confirmada, mas seu companheiro está indefinido. Deve ser um atacante rápido, p rovavelmente Euller. Desta forma, Warley e o grandalhão Somália ficariam como opções para o segundo tempo.MARATONA - Num clima de decisão, os jogadores parecem até esquecer o cansaço provocado pela maratona de jogos disputados nesta temporada. O confronto diante do Boca Juniors será o 30ºjogo do Azulão em 2004 no período de 121 dias, com média de um jogo a cada quatro dias.Esta seqüência de jogos começou dia 21 de janeiro com o Campeonato Paulista, onde o time disputou 15 jogos. Fez cinco jogos pelo Campeonato Brasileiro e nove pela Libertadores. A derrota para o Figueirense, por 1 a 0, domingo, em Florianópolis, quebrou u ma série de 14 jogos invicto do Azulão, com oito vitórias e seis empates.TORCIDA - Apesar da importância do jogo, não é esperada a presença de grande público. A torcida do Azulão ainda é pequena, o que provocou até uma brincadeira de um dos membros da Bengala Azul, a mais velha torcida organizada do time. "Se bobear, vamos ter mais argentino nas arquibancadas do que brasileiros". Na Argentina, com certeza, o fator torcida vai pensar, com a previsão de "La Bombonera" lotada para outra decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.