Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Caetano se arma para suportar pressão

Apontado como um dos melhores times do Brasil na atualidade, o São Caetano tem um jogo de vida ou morte fora do País. Nesta terça-feira, às 23h30 (horário de Brasília), enfrenta o América, na Cidade do México, decidindo uma vaga nas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. Como venceu o primeiro jogo, por 2 a 1, joga pelo empate para seguir na competição.O técnico Muricy Ramalho não quis divulgar a escalação do time. Na verdade, existe a possibilidade dele usar um esquema diferente do que o 4-4-2 que funcionou no último jogo com o América. Ele pode escalar três zagueiros: Dininho, Gustavo e Serginho. Com isso, o volante Fábio Santos sairia do time.Como a proposta é proteger mais a defesa, pois o empate já garante a vaga, existe a possibilidade também de Muricy promover uma troca no ataque. Euller pode substituir Somália, para fortalecer o contra-ataque. "No Brasil, nós escalamos dois atacantes fortes para segurar os zagueiros deles e para serem opções no nosso jogo aéreo ofensivo. No México, a situação pode ser diferente", admitiu Muricy.A delegação chegou à Cidade do México no domingo à noite, numa viagem de 12 horas de duração. Nesta segunda-feira realizou um treino de reconhecimento do gramado do estádio Azteca. O preparador físico Carlito Macedo está em alerta por causa da altitude local, de 2.650 metros. "A altitude desgasta muito mais os jogadores, que terão que dosar bem suas energias. Tudo já foi explicado a eles", assegurou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.