São Caetano se concentra no Brasileiro

Eliminados da Taça Libertadores da América, os jogadores do São Caetano voltaram cabisbaixos aos treinamentos nesta quinta-feira à tarde. Mas o técnico Muricy Ramalho tratou de arrumar rapidamente uma maneira de motivar o elenco à retomar sua trajetória dentro do Campeonato Brasileiro da Série A. O plano da diretoria é simples e racional: buscar as primeiras posições na competição para garantir uma vaga na próxima Libertadores. Muricy acha que em mais alguns dias os jogadores vão esquecer o tropeço diante do Boca Juniors, quando dois empates tiraram o time brasileiro do sonho de lutar pelo título da temporada. "Sair da briga por um título nos pênaltis deixa qualquer um chateado. Mas precisamos dar a volta por cima e nossa chance é dentro de campo, jogando e vencendo", indica o treinador. Na terça-feira, após o empate de 1 a 1, em Alaveneda, os argentinos garantiram a vaga nos pênaltis por 4 a 3. "Temos agora que nos concentrar no Brasileiro e nosso primeiro desafio é o Grêmio", aponta Muricy, lembrando do jogo com o time gaúcho, domingo, às 16 horas, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. A única baixa dos treinos foi o atacante Euller, reclamando de dores musculares. O time deve ser definido após o coletivo programado para esta sexta-feira à tarde, fora do gramado do estádio Anacleto Campanella, que passa por reformas. A diretoria, tanto com o presidente Nairo Ferreira de Souza como com o diretor Genivaldo Leal, asseguram que o clube não recebeu nenhuma proposta para liberar qualquer jogador. O Santos, por exemplo, teria interesse no zagueiro Dininho, que ficou satisfeito com a chance de sair. "Já estou no São Caetano há sete anos e ficaria contente em defender o Santos", comentou. A contratação de Tite pelo Corinthians também "apagou o incêndio" sobre a possibilidade da saída do técnico Muricy Ramalho. Ele chegou a comentar que "qualquer técnico gostaria de trabalhar no Corinthians e que como profissional estava sujeito a ser cogitado". Nesta quinta-feira, porém, ele reafirmou seu desejo de permanecer no clube, pelo menos, até o final do seu contrato, em dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.