São Caetano tem diferencial psicológico

O São Caetano aposta em sua capacidade de se superar em grandes jogos para buscar a liderança do Campeonato Brasileiro nas últimas 11 rodadas. O diferencial psicológico é, na opinião do técnico Péricles Chamusca, o diferencial para ganhar a briga direta, no momento, com Atlético-PR, Santos e São Paulo. E pode ser o trunfo do Azulão já diante do Paysandu, domingo, no ABC. Acreditando nesta tese, a comissão técnica aproveitou a semana de folga na tabela para também reforçar o trabalho motivacional. Na quarta-feira, parte dos treinos de campo foi trocado por uma palestra com o psicólogo Evandro Remonti, que há dois anos acompanha a evolução do grupo. Os mais veteranos já o conhecem. "O Evandro nos lembra das nossas grandes disputas e dos momentos decisivos que passamos. E transmite uma confiança muito grande", diz o zagueiro Dininho, há sete anos no clube. Além dos momentos de reflexão, a semana também foi de muito trabalho para os jogadores que desde segunda-feira treinaram na Estância Santa Filomena, em Jarinu(SP). A delegação retornou no início da noite para o ABC, onde haverá o coletivo-apronto nesta sexta-feira. O time, porém, está praticamente definido e sem nenhuma alteração em relação à formação que empatou com o Botafogo, por 1 a 1, em Niterói. Ceará continuará sendo improvisado na ala-esquerda no lugar de Triguinho, que se recupera de uma cirurgia na face. O zagueiro Thiago, recuperado de contusão, pode ser opção no banco, mas o volante Paulo Miranda continuará se condicionando fisicamente. O volante Marco Aurélio, expulso, está fora dos planos para cumprir suspensão automática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.