São Caetano tem receita da vitória

O São Caetano parece já ter a receita para conquistar seu primeiro título internacional. É um misto de humildade com confiança. Depois de ser vice-campeão nacional em dois anos consecutivos, fica no ar a dúvida sobre as reais chances do time em conquistar o título da Copa Libertadores da América, diante do Olímpia, do Paraguai. As finais estão confirmadas para os dias 24, quarta-feira, no estádio "Defensores del Chaco", e dia 31, em São Paulo, em local ainda indefinido.Além da experiência adquirida nas derrotas anteriores, o São Caetano se fortificou em cima de alguns jogadores que têm ascendência sobre o grupo. "O Daniel é nosso Xerifão", atesta o coadjuvante Dininho, sempre regular em campo, mas tímido fora dele. Além do capitão do time, que tem 32 anos, o Azulão conta com outras lideranças importantes como o lateral-esquerdo Rubens Cardoso, que amadureceu muito no Grêmio.No meio-de-campo, outros destaques ou lideranças positivas. Uma delas é Marcos Senna, volante que se impõe por sua força dentro de campo. "Ele é um gigante", comenta o meia Anaílson. Mas Robert, ex-Grêmio e Santos, e Ailton, ex-Flamengo, Cruzeiro e Portuguesa, também puxam a fila na condução do time para seu primeiro título internacional. "O grupo está de cabeça feita e unido. Vamos dar o máximo para conseguir este título", diz o atacante Somália, que marcou dois gols na Libertadores. Curiosamente, o artilheiro do time não faz mais parte do elenco: Brandão, que voltou ao Iraty-PR. Ele marcou seis gols. O vice-artilheiro é Wagner, atualmente na reserva.O presidente Nairo Ferreira de Souza ainda aguarda uma posição da Confederação Sul-Americana (Conmebol) para saber o local do segundo jogo. O estádio "Anacleto Campanella", no ABC, continua sendo a prioridade. O Pacaembu e o Morumbi são as outras alternativas.Os jogadores se apresentaram nesta sexta-feira à tarde, realizando apenas exames físicos leves. Neste sábado cedo participam de outro treino leve e ganham folga até segunda-feira pela manhã. A viagem para Assunção acontecerá terça-feira. "Não há mais o que fazer na parte física e técnica", garante o fisicultor Flávio de Oliveira. Teipes - Mas já no primeiro dia de treinos para a decisão do título da Taça Libertadores da América, o time do São Caetano mostra que está estudando o time do Olímpia. "Vamos ter de tomar cuidado com eles por causa da velocidade, principalmente do jogador Osterman, que marcou contra o Grêmio", ressaltou o meia Robert.O técnico Jair Picerni diz que já assistiu à duas partidas da equipe paraguaia, uma contra o Boca Juniors, outra contra o River Plate. "Foi uma correria", afirmou. O meia Adãozinho também mostra suas precauções com relação ao jogo. "Acho que será importante que possamos fazer o nosso jogo sem nos preocuparmos com as provocações do adversário. E vai haver muita", prevê.Arbitragem - O árbitro do primeiro jogo será o argentino Horácio Elizondo, que já apitou outro jogo do São Caetano contra o Peñarol. Apesar de toda a polêmica envolvendo o jogo entre Grêmio e Olímpia por causa dos problemas de arbitragem, a diretoria do clube diz não estar preocupada."No jogo contra o Peñarol não tivemos problema e não acreditamos que isto vá acontecer no Paraguai", disse o diretor de futebol Carlos Baptista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.