São Caetano tem reservas de luxo

Os clubes de futebol do País estão em decadência, muitos deles à beira da falência, com dívidas sem precedentes e elencos em fase de desmanche. Contrariando esta triste realidade, entretanto, aparece o jovem São Caetano, com apenas 12 anos de existência. Disposto a escrever de vez seu nome entre as grandes equipes do Brasil, a diretoria do clube não pára de contratar reforços. Nesta quinta, apresentou o lateral-esquerdo Lúcio, boa revelação do Ituano no Campeonato Paulista, que fica no ABC por empréstimo até dezembro.Prestes a chegar à decisão da Taça Libertadores da América ? pode perder do América, no México, por até um gol de diferença ? e disputando a Copa dos Campeões, o time do técnico Jair Picerni está determinado a espantar o estigma de que sempre chega e morre na praia. O Azulão foi derrotado na decisão da Taça João Havelange de 2000 e na do Campeonato Brasileiro de 2001. Para isso não se repetir, montou grande elenco, hoje, um dos mais fortes do País. ?Sempre tivemos grandes elencos, mas agora, estamos em duas competições?, justificou o diretor de Futebol do clube, Genivaldo Leal. ?E depois, queremos participar forte do disputado Campeonato Brasileiro.?Só que com muitos jogadores no plantel para poucas posições, craques acabam no banco de reservas. Casos de Robert, titular absoluto do Santos, contratado para reforçar o time na competição sul-americana e que só agora parece estar conquistando seu espaço entre os titulares. Iniciou nos dois jogos da Copa dos Campeões e atuou nos 2 a 0 sobre o América, terça-feira. Contudo, Picerni pode optar por um time mais cauteloso, no jogo de volta, no México, o que significaria a entrada de um volante na vaga do meia. Claudecir foi uma das grandes revelações do São Caetano que encantou o Brasil na Copa João Havelange. Volante moderno, de força na marcação e saída para o ataque, acabou se transferindo para o Palmeiras. Retornou ao ABC neste segundo semestre, mas até agora vive situação semelhante à de Jean Carlos, artilheiro do Etti Jundiaí no Rio-São Paulo, no primeiro semestre, com 9 gols, que tem entrado somente no decorrer dos jogos. Há ainda, Marco Aurélio e Wagner. ?O importante é sempre termos 28 bons jogadores, que na ausência do titular, possam suprí-lo sem que a equipe sinta. Mantemos a base e, se o que entrar for bem, permanece?, enfatizou Leal.E a chegada de Lúcio, já inscrito na Copa dos Campeões ? o clube embarcou nesta quinta para Teresina, onde enfrenta o Flamengo, neste sábado ?, também não significa que ele será o titular. Vai brigar com Marcos Paulo pela posição, pois o titular Rubens Cardoso, assim como Robert, vai retornar ao Santos após a Libertadores. ?Nossa intenção é a de que eles permaneçam, existe uma pequena chance, mas difícil, já que o Leão (técnico do Santos) vem afirmando que espera contar com ambos,? disse Leal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.