São Caetano tenta buscar ânimo

Apontado desde o início do Campeonato Brasileiro como um dos favoritos ao título e depois de se manter entre os primeiros colocados durante 43 rodadas, o São Caetano viu o mundo desmoronar após a derrota para o Santos, por 3 a 0, domingo, no estádio Anacleto Campanella. Mas o técnico Péricles Chamusca espera reanimar os seus jogadores na apresentação marcada para esta terça-feira cedo. O técnico reconhece que o elenco ficou muito desgastado pela morte do zagueiro Serginho, no dia 27 de outubro, e depois pela perda de 24 pontos no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) do Rio de Janeiro. "Para o grupo que sonhava em até ser campeão, ficar fora da Taça Libertadores foi um duro golpe". Mesmo assim, ele espera uma despedida digna contra o Atlético-MG, domingo, em Minas Gerais. Para este jogo, quatro jogadores estarão de volta após cumprirem suspensão automática por cartões amarelos: o zagueiro Dininho, o lateral Ceará, além dos atacantes Euller e Fabrício Carvalho. Por outro lado, dois jogadores vão cumprir suspensão: o zagueiro Gustavo, com três amarelos, e o volante Marcelo Mattos, expulso. Após a decisão do STJD, o São Caetano ficou com 53 pontos, em 16º lugar, ao invés do quinto lugar com 77 pontos. O departamento jurídico do clube tentará recuperar os 24 pontos no novo julgamento, em segunda instância, confirmado para quarta-feira, às 18 horas, no Rio de Janeiro. O recurso também visa atenuar as penas de suspensão impostas para o médico Paulo Forte, e quatro anos, e do presidente Nairo Ferreira de Souza, de dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.