São Caetano tenta encontrar motivação

O que teria atrapalhado mais o São Caetano no Campeonato Brasileiro: a morte do zagueiro Serginho ou a punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)? Para o técnico Péricles Chamusca, o time acabou sendo vítima de uma "somatória de fatores negativos e inoportunos", que tiraram a equipe de seus principais objetivos: o título brasileiro, inédito, ou uma vaga na Copa Libertadores da América.Para analisar a situação, o técnico cita dois fatores. "Ninguém em sã consciência poderia imaginar que sofreríamos a morte de um jogador em campo (Serginho). Além disso, que iríamos perder 24 pontos no Tribunal de Justiça por causa disso". Chamusca lembra que o time tentou reagir e, em alguns momentos, pode-se dizer que obteve êxito. No caso da morte de Serginho, o time sentiu o "impacto psicológico" do jogo do Morumbi, e acabou perdendo para o São Paulo por 4 a 2. Mas se recuperou na seqüência de jogos, vencendo a Ponte Preta por 3 a 0, em Campinas, liderando a tabela de pontos do returno e atingindo a marca histórica de nove vitórias consecutivas em casa.Com relação à punição do STJD, além da perda de motivação, o time teve dois jogos decisivos em seqüência, contra o então líder Atlético-PR, em Curitiba, e depois diante do vice-líder Santos. "Não tivemos força suficiente para nos recuperar do golpe do Tribunal", concluiu. As derrotas para o Furacão, por 5 a 2, e para o Santos, por 3 a 0, tiraram o São Caetano da liderança do returno, e fez com que o time perdesse a condição de melhor defesa da competição. Agora tem 46 gols sofridos, perdendo para São Paulo (41) e Coritiba (45) e se igualando ao Palmeiras (46). Hoje, o São Caetano é o 16º colocado no Campeonato Brasileiro com 53 pontos ganhos.A possibilidade de reconquistar os pontos em segunda instância no julgamento de quinta-feira, no Rio de Janeiro, ainda dá um alento ao treinador, mas Chamusca tenta evitar o assunto. "É claro que ainda resta uma esperança, mas é complicado a gente falar sobre isso. Deixo a cargo dos nossos advogados", comentou Péricles.Dentro de campo, ele tenta animar os jogadores para a partida do próximo domingo, contra o Atlético-MG, em Minas Gerais. Para este jogo, Euller, Fabrício Carvalho, Dininho e Ceará retornam de suspensão. Na derrota para o Santos eles foram substituídos, respectivamente, por Warley, Lúcio Flávio, Marcos Aurélio e Paulo Miranda. O zagueiro Gustavo, com três amarelos, e o volante Marcelo Mattos, expulso, vão ficar de fora. O time deve ser definido só na sexta-feira, após o treino coletivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.