Beto Barata/Estadão - 18/04/2004
Beto Barata/Estadão - 18/04/2004

São Caetano vai do título paulista à Série D do nacional em 10 anos

Equipe do ABC é rebaixada após má campanha na terceira divisão do Brasileiro e conhece o quarto descenso em nove temporadas

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2014 | 07h00

A maior conquista do São Caetano completou dez anos em abril deste ano. A história de glórias do clube da cidade de São Caetano do Sul, que chegou ao ápice com o título no Paulistão de  2004, passando pelo vice-campeonato brasileiro em 2000/2001 e da Libertadores em 2002, deu lugar a uma série de descensos - quatro em apenas nove temporadas. Uma década depois, o time do ABC Paulista passa pela pior fase em 25 anos de existência. Na noite desta segunda-feira, o São Caetano foi rebaixado à Série D do Campeonato Brasileiro.

A iminente queda foi ratificada após a vitória do Guarani por 1 a 0 sobre o Caxias, fora de casa. Com isso, a equipe de Campinas somou 23 pontos, cinco a mais que o São Caetano. A uma rodada do fim da primeira fase, o time do ABC ficou a quatro pontos do último clube fora da zona de rebaixamento, o Juventude. Na próxima rodada, enfrenta o Duque de Caxias, também rebaixado à quarta divisão.

O atual cenário - o São Caetano também está na A2 do Paulistão - contrasta com o momento vivido pelo time paulista no começo da década de 2000, quando chegou à final da Libertadores depois de eliminar gigantes sul-americanos como Universidad Católica, Peñarol e América do México. Na decisão, venceu o Olímpia por 1 a 0 em pleno Defensores del Chaco. No Pacaembu, sofreu a virada no segundo tempo e perdeu o título para os paraguaios nos pênaltis (4 a 2).

ASCENSÃO

Apenas nove anos depois da fundação, o São Caetano alcançou a terceira divisão do Campeonato Brasileiro. Logo na primeira participação, em 1998, o vice-campeonato no torneio deu direito a uma vaga na Série B. No ano seguinte, o São Caetano terminou a competição na quinta posição. O acesso à elite, entretanto, não demoraria a acontecer. Na Copa João Havelange de 2000, a equipe conquistou um lugar entre os 16 melhores times do País ao terminar o Módulo Amarelo na vice-liderança, atrás do Paraná Clube.

Nas oitavas de finais, eliminou o Fluminense ao fazer 1 a 0 no Maracanã, gol do atacante Adhemar. Na sequência, despachou Palmeiras e Grêmio, até chegar à  final contra o Vasco. Nas partidas decisivas, o título escapou após um empate por 1 a 1 no Palestra Itália e derrota de 3 a 1 no Maracanã. A boa campanha, porém, não tornou-se fato isolado na história do clube. Em 2001, o São Caetano repetiu o feito: derrotou Bahia e Atlético-MG até ser derrotado pelo Atlético-PR na decisão do Brasileiro.

No Campeonato Paulista, o acesso à elite deu-se em 2000, já sob o comando do técnico Jair Picerni, que ficaria no clube até o fim da Libertadores de 2002. Bastaram duas edições na primeira divisão do Campeonato Paulista para que o São Caetano conquistasse o título. Em 2001, a equipe ficou na quinta colocação. Em 2002, disputou o Torneio Rio-SP e acabou eliminada nas semifinal pelo Corinthians. No Paulistão de 2003, o São Caetano foi mais vez o quinto melhor do torneio. No ano seguinte, com Muricy Ramalho no banco de reservas, o título, enfim, foi conquistado - na decisão duas vitórias sobre o Paulista (3 a 1 e 2 a 0, ambas  no Pacaembu).

Nesse mesmo ano, o clube disputou a Libertadores pela terceira vez em quatro temporadas. O fato está ligado à boa campanha no Brasileirão de 2003, quando o São Caetano chegou na quarta colocação - no torneio sul-americano, a eliminação ocorreu diante do Boca Juniors, nas quartas de final. Outra ótima campanha deu-se no Paulistão de 2007: após derrotar o São Paulo na semifinal, com direito a um 4 a 1, o São Caetano deixou escapar o título a oito minutos do fim (o Santos fez 2 a 0 e ergueu a taça).

QUEDA

No âmbito nacional, a derrocada do São Caetano começou em 2006, com o primeiro rebaixamento. Após 20 derrotas e nove empates em 38 partidas, o time terminou o Brasileirão no 19.º lugar. Após sete temporadas consecutivas na Série B sem conseguir voltar à elite, passou por outro descenso do Nacional, chegando à terceira divisão neste ano. No Paulistão, o rebaixamento à A2 veio em 2013, após fraco desempenho e mais um 19.º lugar - em 19 jogos, a equipe venceu apenas duas vezes, empatando outras sete partidas. No primeiro semestre deste ano, o segundo descenso seguido no Estadual só não ocorreu devido a uma vitória do Red Bull sobre o Barueri na  rodada final. Dessa forma, o São Caetano manteve-se à frente na tabela e evitou mais um fracasso na sua história. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.