São Caetano vence a líder Ponte: 2 a 1

Na estréia do meia Edílson, no São Caetano, o time do ABC venceu a líder Ponte Preta, por 2 a 1, neste sábado à noite, no Estádio Anacleto Campanella. A vitória reabilitou o São Caetano de duas derrotas consecutivas, para Santos e Internacional, atingindo os 17 pontos e saindo da 11.ª para a nona posição. A Ponte, que vinha de cinco vitórias consecutivas, continua com 23 pontos, em primeiro lugar, mas pode ser alcançada pelo Fluminense, que neste domingo pega o Botafogo, no clássico carioca. O meia de 34 anos teve uma atuação aparentemente discreta, mas demonstrou disposição. Ele foi marcado em cima pelos adversários e ainda teve na sua perseguição o volante Ângelo, mas mesmo assim abriu espaços para seus companheiros que acabaram definindo a vitória. "Faltou um pouco de ritmo de jogo, mas agüentei bem. O importante foi vencer", analisou Edílson, depois do jogo. Mas o técnico Estevam Soares reclamou muito da falta de movimentação de seu time no primeiro tempo, quando chutou apenas uma vez em gol. "É muito pouco. Temos de girar a bola para abrir espaços", disse, irritado. A Ponte também preferiu se defender, não criando nenhuma chance de perigo para o goleiro Sílvio Luís. O São Caetano voltou para o segundo tempo com Márcio Richards na vaga de Paulo Miranda. E aproveitou bem o fato de a defesa ponte-pretana estar preocupada com Edílson, para abrir o placar. Ele dominou a bola na frente da área sem marcação e soltou um chute forte, seco, sem chance de defesa para o goleiro Lauro, aos 11 minutos. O gol foi tão surpreendente como a reação da Ponte, que empatou no minuto seguinte. Após descida em bloco pelo lado direito, a bola foi alçada na área para Evando, que driblou um zagueiro com o corpo e bateu forte com o pé esquerdo. Nos minutos seguintes, a Ponte teve o jogo em suas mãos, mesmo porque vivia um momento psicológico melhor. Mas faltou arrojo e o São Caetano conseguiu seu gol aos 28 minutos, num pênalti duvidoso de Ângelo sobre Dimba. Ele mesmo cobrou, com força, no canto direito de Lauro, fazendo 2 a 1. Estevam Soares não perdeu tempo e reforçou sua marcação, com a entrada do volante Júlio César e do zagueiro Gustavo, respectivamente, nas vagas do meia Fábio Pinto e do atacante Dimba. O estreante Edílson foi até o fim do jogo e se não marcou seu gol pelo menos mostrou ser pé quente. Na próxima rodada, a Ponte Preta tentará a reabilitação em casa, diante do Figueirense, sábado, dia 16. O São Caetano vai jogar domingo, dia 17, diante do Fluminense, em Volta Redonda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.