São Caetano vence Coritiba de virada

O São Caetano encarou a Copa Sul-Americana com a seriedade que um torneio internacional merece. Colocou os jogadores titulares e venceu o Coritiba por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. Com os meias Ataliba e Capixaba e o atacante Aristizábal sendo preservados para o clássico contra o Atlético Paranaense, o Coritiba não teve forças para suportar a boa marcação do São Caetano e cedeu espaço para os contra-ataques. No jogo de volta, dia 4 de setembro, o time do ABC paulista será beneficiado com um empate em casa. A proposta de jogo do São Caetano para o primeiro tempo foi vitoriosa. O time jogou pouco futebol ofensivo, mas também não permitiu que o Coritiba pudesse desenvolver o jogo que o técnico Antônio Lopes tinha proposto. Com uma defesa bem postada, o São Caetano não deixava o Coritiba tirar proveito do maior volume de jogo. A bola dificilmente chegava ao ataque de ambos os times, embora Marcinho e Fabrício Carvalho mostrassem mais categoria que os atacantes coritibanos. A saída de Adriano, machucado, aos 33 minutos, e a entrada de Reginaldo Vital melhorou um pouco o ataque coritibano, pois o jogador passou a chutar de longe. Apesar do jogo movimentado, nenhum dos goleiros precisou fazer qualquer defesa mais arrojada. "Não tomando a gente vai fazer", prometeu o atacante coritibano Tuta, no intervalo. "Uma hora vai sair o gol. Vamos continuar tentando", retrucou Marcinho. Se faltaram jogadas de ataque no primeiro tempo, o segundo começou elétrico. A 30 segundos Tuta exigiu uma boa defesa de Silvio Luís. A pressão coritibana continuou e o mesmo Tuta abriu o placar aos 3 minutos numa bola que tocou num zagueiro e enganou o goleiro. Não deu tempo para a torcida comemorar. Dois minutos depois, Anderson Lima fez o que mais sabe, cobrando com perfeição uma falta para vencer a perícia do goleiro Fernando. O jogo ficou feio depois disso. Os treinadores buscaram mudar o andamento promovendo substituições. Nesse tabuleiro, Péricles Chamusca foi mais feliz. O meio Lúcio Flávio entrou e deu nova movimentação ao time do ABC paulista. E foi dele a jogada do segundo gol, soltando a bola para Fabrício Carvalho marcar aos 33 minutos.

Agencia Estado,

26 Agosto 2004 | 23h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.