São Caetano vence Grêmio no Olímpico

O São Caetano confirmou seu favoritismo e venceu o Grêmio por 2 a 1, na noite deste domingo, em Porto Alegre, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Com esta vitória o "Azulão" manteve o tabu de nunca perder para equipes gaúchas desde que começou a disputar competições de nível nacional. O São Caetano agora chegou ao quarto lugar com 14 pontos ganhos, enquanto o Grêmio permaneceu com dez, caindo para o 15º lugar.O São Caetano começou o jogo e logo nos primeiros minutos ficou evidente a sua imensa superioridade tática sobre o Grêmio. Marcava a saída de bola da equipe gaúcha na sua defesa e, por isso, não permitia qualquer movimento de articulação que resultasse em perigo para Sílvio Luiz. Aos seis minutos Gilberto, após tabela com Euller e Triguinho, chutou por cima, sozinho na frente de Tavarelli. Com muita troca de passes e jogadas produtivas, o time de Muricy Ramalho deixou o Grêmio travado em campo, sem saber o que fazer.Essa melhor postura deu resultado aos 31 minutos quando Ânderson Lima fez 1 a 0, convertendo um pênalti de Claudiomiro em Euller. Aos 35 Triguinho foi expulso e, mesmo com dez jogadores o São Caetano continuou melhor. Aos 40 minutos, em outro pênalti, desta vez de Michel Bastos em Mineiro, Ânderson Lima bateu com categoria, deslocou Tavarelli e ampliou para 2 a 0. O Grêmio só teve uma conclusão em toda a primeira etapa: Cocito, aos 37 minutos, de fora da área, chutou por cima.Goleador do jogo, Ânderson Lima, que não vibrou nas duas cobranças de pênalti, reclamou da violência de Leanderson: "Vou fazer 20 gols no Grêmio e não vou vibrar nunca, pois aqui eu vivi grandes momentos no futebol. Agora, dizer que sou violento eu não admito, já que o Leanderson quase quebrou a minha perna num lance desnecessário".No segundo tempo, com a entrada de Cláudio em lugar de Rico, passou a dominar o jogo, mas não conseguia transformar este domínio em situações de gol. Na única chance que teve, aos 30 minutos, o Grêmio descontou: Cláudio, já dentro da grande área, chutou forte; a bola desviou num zagueiro e enganou Sílvio Luiz, que ficou sem ação. Depois, em questão de dez minutos, o jogou ficou nervoso e violento e mais três expulsões aconteceram: Cocito, Felipe Mello e Gustavo, que não chegou a completar três minutos em campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.