São Januário preocupa Atlético-PR

O jogo entre Vasco e Atlético-PR, além de poder definir o título do Campeonato Brasileiro de 2004, levantou uma velha polêmica: os problemas enfrentados pelas equipes ao atuar no estádio São Januário. Dois jogadores do time paranaense já passaram por isso.Em 2000, durante a decisão da Copa João Havelange, o zagueiro Marcão, hoje no Atlético, defendia o São Caetano, quando o alambrado de São Januário despencou. A decisão do título teve que ser adiada e o Vasco acabou conquistando o título. "Eu estava lá quando a arquibancada caiu e sei que é difícil jogar lá", lembrou o jogador. "O pessoal não abre o portão do vestiário para você ir para o campo, abre só em cima do jogo mesmo." Já o atacante Washington defendia o Paraná Clube em 1999, quando o time paranaense empatava com o Vasco por 1 a 1 no dia 19 de setembro. A equipe carioca estava com dois jogadores expulsos e sofria pressão, quando o árbitro Paulo César de Oliveira expulsou um terceiro. O então vice-presidente do Vasco, Eurico Miranda, invadiu o campo, ameaçou o árbitro e fez com que a partida fosse encerrada. O problema já ficou no passado para Washington, que promete muita comemoração caso o título seja conseguido neste domingo. "Caso dê certo (vitória do Atlético e empate ou derrota do Santos, para o São Caetano), vamos comemorar sim. Até mesmo se fosse no Iraque eu não iria resistir", avisou o atacante.Temendo enfrentar algo parecido, pois o Vasco precisa da vitória para escapar da ameaça de rebaixamento, o Atlético viaja neste sábado para o Rio. "Nós não podemos ficar pensando nisso. Mas se acontecer de novo só vai nos dar força para passar por cima", avisou Marcão. "Já passamos por tanta coisa e vai ser mais para a gente passar por cima."Para o técnico Levir Culpi, o clima de disputa será muito grande. "O que nós vamos ver vai ser os caras (jogadores do Vasco) disputando Copa do Mundo. Só que tem um detalhe: nós também vamos disputar Copa do Mundo", afirmou.Além desses dois problemas ocorridos em São Januário, não faltaram referências ao jogo de 2001, quando o Vasco vinha de cinco jogos sem vitória e enfrentaria o Atlético-PR. Antes do jogo, muita confusão, com os portões do vestiário fechados e Eurico Miranda impedindo o árbitro Wilson de Souza Mendonça de iniciar o jogo no horário estabelecido: 14h30. A partida começou 25 minutos depois e o Vasco venceu por 4 a 0.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.