São-paulino ataca diretoria do Santos

O superintendente do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, reagiu com irritação à decisão da diretoria do Santos de transferir o clássico de domingo entre as duas equipes, da Vila Belmiro para a cidade de Mogi Mirim. Os dirigentes santistas decidiram mandar o jogo para o interior para evitar que o rival, virtual campeão paulista, faça a festa do título em Santos. ?Foi uma atitude pequena. Mogi não é a casa do São Paulo tampouco do Santos. Isso só afasta público e será um desastre do ponto de vista financeiro?, disse Cunha.?Isso é só uma demonstração de que o Santos jogou a toalha, muito antes de o São Paulo se sentir campeão?, acrescentou o superintendente.Para Marco Aurélio Cunha, a atitude do Santos evidencia falta de profissionalismo e indica falta de respeito para com a Federação Paulista de Futebol (FPF), organizadora da competição. ?Ele (Santos) está abrindo mão de lutar pelo vice, já que o Corinthians está em ascensão. A menos que eles (santistas) menosprezem os troféus e medalhas oferecidos pela Federação?, afirmou.O dirigente são-paulino acha até que atitudes como estas enfraquecem os clubes numa eventual negociação de venda de direitos de transmissão dos jogos. ?Como um clube pode pleitear arrecadação maior da tevê se deprecia seu próprio produto??, pergunta Cunha.O São Paulo joga nesta quinta-feira contra a Portuguesa de Desportos e se vencer será campeão paulista de 2005. Com isso, o clássico de domingo poderia se transformar numa festa são-paulina em pleno Vila Belmiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.