São-paulino Muricy diz conhecer os pontos fortes do Audax

Apesar de enfrentar o modesto e desconhecido Audax Italiano, que disputa pela primeira vez a Copa Libertadores da América, o técnico Muricy Ramalho tratou de tranqüilizar a torcida momentos antes do embarque para Santiago ao revelar que conhece os pontos fortes dos adversários. A partida com os chilenos acontece na quarta-feira, às 21h45, no Estádio Municipal de la Florida."Tenho imagens individuais de todos os jogadores do Audax. Na concentração, vou passar todos os detalhes para o nosso grupo. Enfrentaremos um time muito perigoso, rápido, que nos dará muito trabalho", disse Muricy no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo).O comandante são-paulino declarou que assistiu a um vídeo com a última partida do Audax pelo Campeonato Chileno. Segundo o treinador, os rivais utilizam várias jogadas ensaiadas em bola parada. "Temos de ficar atentos, principalmente nas cobranças de escanteios. Vou posicionar a defesa e passar todos os detalhes para os zagueiros", disse. O goleiro e capitão, Rogério Ceni, concordo com o colega. "É um time bom, apesar de não ser tão tradicional. Toda a equipe que disputa uma Libertadores têm os seus méritos. É por isso que o São Paulo deve ter cuidado."Apesar de sempre ser cometido, Muricy ficou confiante após a vitória sobre o arqui-rival Corinthians por 3 a 1, no último domingo. "Chegamos em boas condições. É claro que não estamos 100%. Mas, nos encontramos num momento razoável para começar a competição. Passamos por um obstáculo maior, que foi o clássico contra o Corinthians. A vitória mostrou que o São Paulo está no momento certo."Mesmo com o Audax disputando a sua primeira Libertadores, o São Paulo já enfrentou os chilenos num amistoso realizado em 1958, no Pacaembu. O time paulista ganhou por 4 a 1, com gols de Vasconcelos, Rubine, Amauri e Maurinho, enquanto Molina fez para os visitantes.Jorge WagnerO meia/lateral Jorge Wagner embarcou com o restante do grupo são-paulino, mas ainda não recebeu o aval da Fifa para poder atuar, uma vez que ele já defendeu duas equipes (Internacional e Betis) após 1.º de julho do ano passado.?Se ele não for liberado, já vai entrosando com o restante. Fisicamente, ele está inteiro, muito forte?, afirmou Muricy. ?Já acionamos a Fifa e temos precedentes a nosso favor. Estamos mantendo contato para abreviar esse processo, mas contra o Audax acho que ainda não dá?, revela o presidente Juvenal Juvêncio, que retornou da Índia na noite de segunda-feira e já viajou novamente. ?Precisamos de cautela e vamos vencer essa cautela.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.