São-paulinos dizem que seqüência de derrotas não assusta

Desde maio do ano passado o São Paulo não sabia o que era perder dois jogos seguidos. As últimas duas derrotas haviam ocorrido para Estudiantes (1 a 0), pela Libertadores da América, e Internacional (3 a 1), pelo Campeonato Brasileiro. Agora, o filme voltou a se repetir. Depois de cair frente ao Necaxa, no meio da semana, ontem foi a vez do time parar no São Caetano, com a derrota por 1 a 0.O elenco são-paulino fez questão de deixar claro que, apesar dos tropeços, o time segue firme e forte em busca do título do Paulistão. ?Os culpados somos nós mesmos que acostumamos mal o torcedor só com vitórias. Mas estamos tranqüilos. Na quarta-feira [contra o Rio Branco], teremos a chance de reverter isso?, afirmou o meia Souza, que deve mais uma vez quebrar o galho na lateral.?Agora cabe a nós fazer uma outra série de invencibilidade?, emendou o zagueiro Miranda.A única diferença em relação às duas derrotas consecutivas sofridas no ano passado para agora é que, desta vez, o São Paulo viu duas invencibilidades virarem pó numa mesma semana. ?Perdemos quando podíamos. Ainda temos quatro pontos de vantagem para o terceiro colocado. Duas derrotas seguidas é muito pouco para criarem um carnaval fora de época no São Paulo?, brincou o camisa 10. ?Esse time tem estrutura e capacidade para voltar a vencer a partir da próxima rodada?, amenizou o capitão Rogério Ceni.Muricy Ramalho foi bem simples em sua análise após a partida. Não quis saber de jogar a culpa nos desfalques, no cansaço, em nada: ?Perdemos porque o São Caetano mereceu a vitória. Não gosto de ficar procurando desculpa. Isso é bobagem.?O técnico são-paulino chegou a se irritar com os repórter de televisão que tentavam repercutir mais um tropeço do São Paulo.Para a próxima partida, quarta-feira, contra o Rio Branco, no Morumbi, Muricy ganhou mais um desfalque: Miranda recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora do jogo. O garoto Breno pode ser o substituto. Em compensação, o atacante Leandro retorna depois de cumprir suspensão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.