Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Jefferson Bernardes/VIPCOMM

São-paulinos enaltecem reação no segundo tempo

Jogadores e técnico também reclamam da arbitragem, que teria dado dois gols impedidos para o Inter

Marcius Azevedo, Agencia Estado

23 de julho de 2009 | 00h45

O empate com o Internacional por 2 a 2 na noite desta quarta-feira em Porto Alegre foi muito comemorado pelo São Paulo. Os jogadores deixaram o Beira-Rio satisfeitos com a reação do equipe, após estar perdendo por 2 a 0.

Veja também:

linkSão Paulo empata e projeta arrancada no Brasileirão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"A nossa postura tinha de mudar. A gente sabe que eles pressionam aqui e tínhamos de igualar na pegada. Conseguimos nos superar no segundo tempo", afirmou Jorge Wagner, que entrou no lugar de Marlos no intervalo.

O discurso do camisa 7 foi repetido pelos outros jogadores. "A nossa postura precisa ser essa para ganhar o campeonato. Nós mostramos o que é o São Paulo no segundo tempo. Se jogarmos assim, dificilmente vamos perder", disse Miranda.

"Voltamos pressionando na saída de bola e poderíamos até ter vencido o jogo. O segundo tempo foi digno do São Paulo", afirmou Washington. "No segundo tempo entramos determinados, marcamos forte, nos aproximamos. Fomos competitivos", completou Hernanes, autor do primeiro gol.

O volante Jean, que confessou ter "tentado cruzar" no lance que surpreendeu Lauro no segundo gol, exaltou a reação da equipe. "É difícil jogar aqui, mas conseguimos nos superar no segundo tempo".

O técnico Ricardo Gomes também ficou satisfeito com a superação do grupo. "Estão de parabéns, é essa atitude que a gente precisa. A gente não precisa só agir, tem que reagir", comentou o treinador, que esperava uma virada no segundo tempo. "O São Paulo foi muito melhor no segundo tempo, merecendo uma sorte melhor".

RECLAMAÇÃO 

Apesar de o empate ter sido considerado bom, os jogadores não pouparam o árbitro Rodrigo Nunes de Sá. A reclamação foi sobre o pênalti que Washington errou. Para os são-paulinos, ele deveria mandar voltar porque não foi apenas Miranda que invadiu a área antes da cobrança.

"Se é para fazer isso, então nem marca o pênalti. Ele marcou uma falta que não existiu", reclamou Washington, que foi para cima do árbitro do intervalo. "Não tem como não ficar nervoso. Todo mundo viu o que ele fez", disse Miranda. "O árbitro sente que cometeu um erro, e perde a confiança. Foi o que aconteceu no jogo", acrescentou Ricardo Gomes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.