São-paulinos reclamam da arbitragem após empate

O empate do Paulista, em 2 a 2, aos 49 minutos do segundo tempo, tirou jogadores e o técnico Muricy Ramalho do sério. Todos partiram para cima do árbitro Cleber Wellington Abade e do auxiliar Giovani César Canzian, que havia marcado a falta que originou o gol de Gláucio. A reclamação era que o tempo de acréscimo já havia se esgotado no momento do gol. ?Ele sempre faz a mesma coisa contra o São Paulo. Quatro minutos para quê? Morreu alguém??, disse o atacante Leandro. ?Vocês precisam conversar direito, esse negócio (equipamento eletrônico de comunicação) não está funcionando?, esbravejou o técnico Muricy Ramalho, que foi tirar satisfação com o árbitro após o apito final. ?Da próxima vez que me chamarem para assistir palestra sobre arbitragem, eu não vou. Para que palestra se em campo ele não faz nada??, emendou o meia Souza. ?Se ele deu quatro minutos, o jogo já havia acabado.? Imagens da TV Bandeirantes mostram Abade levantando o braço para encerrar a partida no momento do chute de Gláucio. ?Eu dei mais um (minuto) de acréscimo. Avisei o auxiliar que iria dar mais um minuto?, defendeu-se o juiz. ?Você fez o gol em cima da hora no primeiro tempo. É só ver lá. Estava em 47 minutos e 10 segundos?, completou o árbitro ao ser abordado por Muricy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.