São-paulinos reencontram ídolos no Japão

A torcida do São Paulo reencontrou-se com dois ídolos e lembrou o comandante das conquistas no Japão, em 1992 e 1993. Com dois minutos de jogo contra o Al Ittihad, pela primeira vez ouviu-se o grito de ?ole, ole, Telê, Telê?, homenageando Telê Santana, o treinador das duas conquistas mundiais do clube. Mais três minutos e os gritos foram para Toninho Cerezo, que estava nas arquibancadas. ?Eo, eo, o Cerezo é tricolor?, gritaram, por 30 segundos. Cerezo, que deixou o Kashima Antlers e pretende voltar ao Brasil, mandou beijos e abraços aos torcedores. O nome de Raí também foi gritado. Ele veio ao Japão como convidado da diretoria e como comentarista de uma rádio. Antes do jogo, previu uma vitória fácil, por 2 ou 3 a 0. ?E, na final, vamos ganhar por 2 a 1 para repetir o placar de 1992 contra o Barcelona. Não vai ser fácil porque os times são equilibrados?. No final do jogo, Cerezo disse que gostou do segundo tempo. ?O time voltou diferente, com uma marcação mais dura. Estava muito mais ativo?. Depois, falou como se ainda jogasse. ?No primeiro tempo, nós demos muito espaço e esse time sabe tocar bem a bola. Depois, marcamos melhor e vencemos?. A torcida se dividia em dois setores diferentes. No centro do campo, estavam os que pagaram ingresso mais caro. Cada lugar ali custava 360 reais. Estes torcedores tiveram boa visão o tempo todo. Foi para eles que Cicinho correu quando saiu o segundo gol do São Paulo, mostrando a camisa e pedindo apoio. Os mais ?pobres?, com muitas bandeiras da Torcida Independente, pagaram 140 reais e ficaram em uma posição paralela ao gol que Rogério Ceni defendeu no segundo tempo. Vibraram com o primeiro gol de Amoroso e sofreram com o de Al Montashari. Havia ainda alguns torcedores espalhados por outros setores. A torcida era muito maior que a do Al Ittihad, que era reforçada por jornalistas árabes que se beijavam e se abraçavam a cada gol de seu time. Os lamentos eram muito altos. A maioria reclamava muito de Shiku (Tcheco).

Agencia Estado,

14 de dezembro de 2005 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.