São-paulinos ressaltam superação no ABC

Herói da vitória espetacular do São Paulo sobre o São Caetano, por 4 a 3, nesta quarta-feira, no estádio Anacleto Campanella, o volante Josué resumiu em três palavras os motivos que levaram o time a marcar três gols em sete minutos, o último, dele próprio, aos 47 minutos do segundo tempo: superação, dedicação e perseverança. "Acho que o time se superou em campo e foi mais uma vitória da garra. Mas merecemos, porque nunca desistimos de buscar o resultado positivo, mesmo perdendo muitos gols e com a grande atuação do goleiro Sílvio Luís", completou Josué.Até o goleiro Rogério Ceni, em noite infeliz, fez questão de enaltecer a reação do seu time, mesmo com o adversário estando com dois jogadores a menos, devido as expulsões de Triguinho e Luís Cláudio. "O Triguinho deu uma tesoura no Cicinho na minha frente e mereceu ser expulso", confirmou o goleiro, que ainda no intervalo tinha reconhecido a falha no lance que abriu o placar para o São Caetano. "Quando fui chutar a bola, o atacante deles apareceu em cima e, infelizmente, saiu o gol".Retrucando - O técnico Émerson Leão, inteligente e polêmico, ficou durante todo o jogo quieto na frente de seu banco. Mas antes do início não perdeu a oportunidade de cutucar o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, que confirmou à tarde que não aceitará queixas de técnicos, mas reclamações formais somente dos presidentes dos clubes. Tudo por causa dos protestos do técnico contra a arbitragem de Sálvio Fagundes Filho no empate por 2 a 2 com o União Barbarense, em Santa Bárbara d´Oeste, no final de semana. "Achei a declaração muito fraca. Estou decepcionado, porque acho que ele (Marco Polo) deveria ouvir quem sempre elogia a Federação". No final, como sempre, ironizou: "Depois não adiante ficar promovendo almoço", referindo-se ao encontro entre os principais técnicos antes do início do Paulistão.Zetti expulso - Mas Leão levou vantagem em campo. O juiz irritou o técnico Zetti, do São Caetano, por inverter faltas e aplicar dois cartões amarelos - Anailson e Triguinho - em menos de 15 minutos de jogo. O técnico do Azulão reclamou e acabou expulso a os 22 minutos. Na saída de campo ainda recebeu o apoio solidário de Leão, mas não perdeu a chance de usar os microfones para manifestar sua revolta: "Falei para ele (juiz) apitar direito, porque ele está com medo do Leão. Se for preciso, vou começar falar para ver se eles têm medo de mim...". Ao caminhar para o túnel, Zetti ainda foi ironizado pela torcida são-paulina que gritava: "Zetti é tricolor".No final do jogo, Zetti, revoltado, tentou ir para cima do juiz mas acabou impedido pelos próprios seguranças do clube na entrada do túnel. "Só quero olhar na cara dele", dizia transtornado. Nos vestiários a revolta era geral: "Não dá para vencer o São Paulo com dois jogadores a menos. O juiz foi, no mínimo, rigoroso demais", desabafou Paulo Miranda. "O juiz veio tendencioso por conta do Leão", desabou o baixinho Anailson.

Agencia Estado,

10 de fevereiro de 2005 | 00h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.