São-paulinos sentem a falta de estrelas

Embalado por um público superior a 18 mil pessoas, o São Paulo perdeu a chance de assumir a liderança isolada do Campeonato Brasileiro, pelo menos até o complemento da terceira rodada do segundo turno da competição. O empate sem gols com o Criciúma no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, neste sábado (16/08), teve gosto de derrota para os jogadores do São Paulo. Para o goleiro Rogério Ceni, bastante exigido na partida, o time sente a falta de Kaká, Luís Fabiano e Ricardinho. "Qualquer um destes jogadores fora compromete nosso poder de criação e de ataque. Sem os três fica muito mais difícil. O Kaká já foi embora, agora é esperar o retorno do Ricardinho e do Luís Fabiano", avaliou o jogador após a partida.O discurso da falta dos companheiros parecia ensaiado pelo elenco após o apito do árbitro. Os jogadores Fabiano e Adriano também lamentaram a falta dos titulares no meio-campo e ataque do time. "O Criciúma jogou bem armado na defesa e nos faltou criatividade para furar o bloqueio deles", disse Adriano.Para o atacante Tico, do time catarinense, o favoritismo antes do jogo era todo do São Paulo, mas o Criciúma mostrou que não é um time fácil de ser batido. "Quem acha que é moleza vencer o Criciúma sempre acaba encontrando dificuldades", afirmou o atacante.O empate deixou o São Paulo na terceira posição, com 47 pontos, mesmo número de pontos do Internacional. O Criciúma, com 39 pontos, juntou-se ao Atlético/MG na 6ª posição. Na próxima quarta-feira (20/08) o São Paulo enfrenta o Fortaleza fora de casa, enquanto o Criciúma joga em casa contra a Ponte Preta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.