São-paulinos vão à júri popular

A 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ), por unanimidade indeferiu hoje recurso da defesa, e confirmou sentença de primeira instância que mandou a júri popular, por homicídio qualificado e omissão de socorro, os são-paulinos Carlos André Amorozino Júnior, de 30 anos, ex-presidente da torcida organizada Independente, e Valdivio Marcelo, de 23. Eles são acusados de matarem a pauladas o palmeirense Mauro Roberto da Costa, de 24 anos, durante um confronto entre as torcidas dos dois times, no carnaval de 2003, na Barra Funda. Vão responder também por omissão de socorro do são-paulino Diógenes Fernandes Ventura, de 20 anos, que ficou gravemente ferido e acabou também morrendo. A sentença agora mantida, foi proferida pela juíza Sílvia Maria Facchini Espósito Martinez, em março último. Ela negou a Carlos André o direito de apelar em liberdade. Concedeu porém o benefício a Valdivio, porque ele, embora com prisão preventiva decretada, apresentou-se espontaneamente à Justiça. O recurso defensivo foi rejeitado pelos desembargadores Ricardo Tucunduva (relator), e Ericson Maranho (revisor), e Debatin Cardoso (3º juiz). Os advogados André Jorge e Rodrigo Senfi Ribeiro de Mendonça argumentaram que as provas são insuficientes contra os dois réus, pois os relatos das testemunhas são contraditórios quanto a participação deles no crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.