São Paulo abre visitas da Fifa a possíveis sedes da Copa

Ao todo, representantes da entidade máxima do futebol percorrerão 17 cidades brasileiras até 7 de fevereiro

AE, Agencia Estado

27 de janeiro de 2009 | 17h16

A CBF divulgou nesta terça-feira o roteiro de visitas dos representantes da Fifa às cidades que pretendem receber jogos da Copa do Mundo de 2014. A programação começa na sexta-feira, em São Paulo, e estende-se até o dia 7 de fevereiro, quando os inspetores irão a Fortaleza.A lista publicada pela CBF tem apenas 17 das 18 cidades que se candidataram a receber jogos do Mundial - Maceió, que teve problemas com o projeto enviado à Fifa, não foi incluída no roteiro.A agenda dos inspetores no Brasil será apertada. À exceção do primeiro e do último dia de trabalho, eles terão de avaliar mais de uma cidade. No dia 6 de fevereiro, por exemplo, a equipe passará por três candidatas do Nordeste - Salvador, Recife e Natal.Além dos estádios, serão avaliados o aeroporto, os projetos de engenharia e arquitetura, e os potenciais investidores. Os delegados da Fifa serão recebidos por autoridades locais, e sobrevoarão as cidades de helicóptero.Nos dias em que houver inspeção em duas candidatas, o trabalho na primeira cidade começará às 10 horas, e na segunda, às 15 horas. Quando forem três avaliadas, a primeira reunião começará às 9 horas, a segunda às 13 horas e a terceira às 17 horas.Participarão das visitas os membros do Comitê Organizador da Copa de 2014 - Ricardo Teixeira, Joana Havelange, Rodrigo Paiva, Mário Rosa, Carlos Geraldo Langoni, Alexandre Silveira, Carlos de La Corte - e três representantes da Fifa, entre eles Thierry Weil, diretor de marketing da entidade. ROTEIRO DE VISITAS:30/01 - São Paulo31/01 - Porto Alegre e Florianópolis01/02 - Curitiba e Rio de Janeiro02/02 - Belo Horizonte e Brasília03/02 - Goiânia e Campo Grande04/02 - Cuiabá e Rio Branco 05/02 - Manaus e Belém06/02 - Salvador, Recife e Natal 07/02 - Fortaleza 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do Mundo2014FifaCOpa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.