São Paulo acha que não teve tranqüilidade

O São Paulo só não ficou na liderança do Campeonato Brasileiro por falta de tranqüilidade. A opinião é do meia campista Alexandre, ao final da partida, lamentando a marcação do segundo pênalti, convertido pelo Criciúma, empatando o jogo. "Se tivéssemos um pouco mais de tranqüilidade poderíamos sair daqui com uma vitória e os três pontos, pois nosso primeiro tempo foi muito bom e poderíamos até ter feito um placar melhor, mas faltou tranqüilidade", disse Alexandre, que na prática foi o terceiro zagueiro do São Paulo durante toda a partida. O goleiro Rogério lamentou não ter evitado que a bola entrasse no segundo pênalti, depois de ter conseguido garantir o placar na cobrança de penalidade, aos 10 minutos, feita por André. "Achei que ele ia cobrar no lado oposto ao primeiro pênalti", comentou o Ceni, que considerou, até certo ponto, justo o resultado. "O jogo foi equilibrado, com a gente melhor no primeiro tempo e o Criciúma se superando no segundo e conseguindo o empate", acrescentou o goleiro, que de qualquer forma considerou importante o resultado em função do jogo ser em Criciúma, onde o adversário cresce em campo com o apoio de sua torcida. Enquanto caminhava em direção dos vestiários, visivelmente abatido, o técnico Cuca considerou que o jogo "foi equilibrado". Disse, rapidamente, que sua equipe dominou totalmente o adversário no primeiro tempo. "O Criciúma não chutou uma bola a gol no primeiro tempo", disse. Na etapa complementar, na opinião do treinador do São Paulo, sua equipe foi caracterizada pelo individualismo e erros nos momentos de concluir as jogadas. "O último passe não foi bom, exageramos no individualismo, e não escolhemos a melhor opção no momento de decidir e concluir as jogadas na área adversária", acrescentou Cuca. No vestiário do Criciúma o empate teve sabor de derrota, em função do pênalti desperdiçado no início do segundo tempo, através de André, quando o time perdia por um gol. "Mesmo assim gostei da equipe, o time mostrou no segundo tempo uma outra disposição e além do pênalti que perdemos tivemos outras duas boas oportunidades de marcar", disse o técnico Vágner Benazzi, preocupado pela falta de tempo para treinar, já que terça-feira cedo a delegação viaja para Belo Horizonte. "Jogamos melhor do que na primeira partida, o que já é positivo", concluiu o treinador.

Agencia Estado,

25 de abril de 2004 | 20h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.