Mauro Horita/Divulgação
Mauro Horita/Divulgação

São Paulo admite 'confusão tática' diante da Ponte Preta

Jogadores afirmam ter sofrido para se adaptar ao esquema 3-4-3

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Março 2015 | 18h38

O São Paulo precisou sofrer, sair atrás e jogar mal antes de virar sobre a Ponte Preta por 2 a 1, neste domingo, pelo Campeonato Paulista, em Campinas. Os próprios jogadores admitiram após a partida que a mudança tática do time, armado no início no 3-4-3, deixou a equipe confusa no começo, quando foi dominada pelo adversário.

A formação inédita, e com os reservas em campo, fez o São Paulo ficar em desvantagem no placar logo aos 9 minutos de partida e passar sufoco nas investidas sofridas pelas laterais. "Faltou encaixar o time. Mas no segundo tempo nós nos arrumamos, conseguimos jogar e viramos o placar", disse o meia Thiago Mendes, que participou dos dois gols.

Ainda no primeiro tempo, quando o São Paulo estava acuado, o técnico Muricy Ramalho descartou o esquema 3-4-3 e voltou ao 4-4-2. A principal mudança foi deslocar Boschilia da ala esquerda para o meio-campo, sua posição de origem. "A gente acertou a marcação no segundo tempo. Estava desregulado pela esquerda. Conseguimos ter um bom espírito para definir a partida", comentou o zagueiro Edson Silva.


A vitória deixa ainda o elenco mais confiante para o próximo compromisso. Na quarta-feira será a vez de jogar pela Libertadores, contra o San Lorenzo, no Morumbi. O time titular estará de volta após ganhar descanso no jogo deste domingo.

Mais conteúdo sobre:
futebol São Paulo FC Campeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.