São Paulo admite contratar psicólogo

Procura-se jogador com pegada e custo modesto de tranferência e salário. Este bem poderia ser um anúncio de oferta de emprego por parte do São Paulo, que deverá fazer novas contratações para o Campeonato Brasileiro. Segundo o diretor de futebol do clube, Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, o time deverá repor os atletas que deixaram o clube desde o início da temporada entre eles o meia Adriano, que nesta segunda-feira anunciou oficialmente sua transferência por empréstimo para o Bahia.O dirigente diz que o São Paulo não descarta uma contratação de peso se alguma boa oferta aparecer, mas a tendência no clube é de que a política de contenção de gastos continue e os salários daqueles que venham a substituir os que deixam o time do Morumbi sejam menores. Leco também afirmou que a presença de um psicólogo na equipe também não está descartada. "O time tem um problemas psicológicos e técnicos", declarou.Leco reafirmou que a diretoria continua apoiando Oswaldo de Oliveira.Lembrou que com o clube enfrentou crises com Cilinho nos anos 80 e Telê Santana na década seguinte. "Se eles tivessem sido substituídos, bons trabalhos poderiam ter sido desperdiçados. Mas há um porém. O dirigente deixou uma possibilidades de mudanças no ar caso o time tenha um desempenho medíocre nesta quarta-feira, contra o Gama, pela Copa do Brasil. "Vamos continuar enquanto sentirmos que o trabalho tem condições de prosperar", afirmou Leco.Mas as mudanças podem não ficar restritas ao grupo de jogadores ou comissão técnica. Entre os conselheiros são consideradas fortes as possibilidades de algumas alterações em termos de gerência. Os bastidores do clube estão agitados e nesta segunda, o vice-presidente do São Paulo, Márcio Aranha, pediu a substituição de Oswaldo de Oliveira por um treinador estrangeiro como Carlos Biachi e Sven Goran Ericksson. A realidade do São Paulo, no entanto e, embora os dirigentes não confirmem, o fato do contrato do treinador prever multa por rescisão é um dos fatores que colaboram com a manutenção de Oliveira no cargo.Para o jogo contra o Gama, muitos problemas. Segundo o médico José Sanches, Kaká deverá ficar pelo menos dez dias em tratamento intensivo da contusão na coxa e só deverá voltar a treinar normalmente após três ou quatro semanas. Outros que estão fora do jogo em Brasília são o goleiro Rogério Ceni, com um corte na perna e Leonardo Moura, que ficará algumas semanas em tratamento da contusão no púbis e Itamar, suspenso por duas partidas pelo cartão vermelho que recebeu na partida contra o São Raimundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.