São Paulo admite que vaga na Libertadores ficou difícil

Com a diminuição de uma vaga para a competição, a missão do clube se tornou mais complicada

PAULO FAVERO, Agência Estado

26 de setembro de 2010 | 21h00

A situação já não era das melhores. Mas após a derrota para o Goiás por 3 a 0 no sábado, a classificação para a Copa Libertadores virou uma missão quase impossível para o São Paulo. O time está a 10 pontos da zona de classificação e precisa tirar a diferença em apenas 13 rodadas.

Veja também:

link São Paulo decepciona e perde para o Goiás em pleno estádio do Morumbi

link Baresi lamenta falhas da defesa do São Paulo

 

Os dirigentes já admitiram que a chance é remota. "Acho até muito difícil a vaga na Libertadores. Disputamos sete anos seguidos esta competição e pode ser que agora tenhamos de organizar a equipe para fazer um campeonato melhor depois", disse Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol.

O dirigente sabe que o time não faz uma boa temporada. No Brasileirão, tem altos e baixos. Também chegou à semifinal da Libertadores sem apresentar um futebol brilhante. No começo do ano, muitos jogadores chegaram para reforçar o elenco, mas a equipe não engrenou. "As contratações não encaixaram bem neste ano", reconheceu.

Ele comenta que o clube vive uma fase de transição, mas está otimista. Acha que o trabalho pode gerar frutos nos próximos meses, principalmente porque o clube voltou a olhar para as suas categorias de base. "Quando ganhamos muito e fomos tricampeões brasileiros, aí o São Paulo ficou muito focado, virou alvo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.