São Paulo afasta dupla de volantes

O desastre de quarta-feira, na Argentina, fez as duas primeiras vítimas no São Paulo. Os volantes Adriano e Carlos Alberto foram afastados da equipe titular por deficiência técnica e não enfrentam a Ponte Preta, domingo, em Campinas. A atuação dos dois na derrota para o River Plate, e nos últimos jogos, irritou o técnico Roberto Rojas e, principalmente, a diretoria, que pretende liberá-los na próxima temporada ? ou fazendo acordo para dispensá-los sem custos consideráveis ou emprestando-os. A maior indicação de que eles não vêm agradando são os próprios substitutos: Marcelo Gallo, de 21 anos, e Marco Antônio, de 19, que ainda não conseguiram se firmar no clube e ganhar a total confiança da comissão técnica. ?Eles estão treinando com a gente e poderiam ganhar uma chance?, limitou-se a dizer Rojas. Gallo, por sinal, começou mal no profissional. Entrou no segundo tempo da partida contra o Juventude, em Caxias do Sul, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, e, após alguns segundos em campo, foi expulso por jogada violenta. ?As pessoas falam que sou violento por causa daquele lance, mas ganhei experiência e não vou mais repetir o erro?, afirmou o atleta, que chegou ao Morumbi em 1998. Depois do incidente, quase não foi mais utilizado. Marco Antônio, mais técnico, é considerado atleta de futuro promissor e chega, até, por seu estilo, a ser comparado com Raí por Marco Aurélio Cunha, superintendente de Futebol. Só que não conseguiu deslanchar nas poucas oportunidades que teve. ?Ainda não consegui fazer um grande jogo no profissional, espero aproveitar essa chance que tenho.? De qualquer maneira, as alterações feitas por Rojas mostram que as coisas não poderiam continuar do jeito que estavam. Adriano e Carlos Alberto, que nunca se destacaram pela habilidade, exageraram nos erros contra o River Plate e esgotaram a paciência do técnico. Outros atletas, como o lateral-esquerdo Fabiano, decepcionam, mas mantém-se entre os titulares pela falta de opções no elenco. Rogério Ceni, que domingo completará 500 jogos com a camisa tricolor, tornou público aquilo que muitos são-paulinos sabem, mas não têm coragem de falar, ao declarar que o grupo é limitado e precisa de reforços. ?Estamos (na classificação do Campeonato Brasileiro) numa situação melhor do que é a realidade do nosso time. Não vou usar a palavra fraco para definir nossa equipe, mas precisamos de reforços?, opinou. ?Não perdemos do River por falta de vontade ou porque não demos carrinho. Perdemos porque faltou jogar mais bola.? O meia Grisales, da seleção colombiana e do Atlético Nacional, afirmou que pode se transferir para São Paulo ou Boca Juniors. O atleta, de 28 anos, está sendo oferecido por empresários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.