Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

São Paulo afasta Rojas para dar paz a Cuca

A diretoria do São Paulo resolveu afastar Roberto Rojas do clube. Oficialmente, deu-lhe um tempo de férias, mas a decisão foi motivada pelo descontentamento do chileno com a nova função - preparador de goleiros - e por causa do ambiente constrangedor entre ele e o técnico Cuca, que têm relação amistosa.Embora garanta estar satisfeito no Morumbi, Rojas ficou aborrecido com a perda do cargo de técnico no fim do ano passado. Além de ter ficado sem o bônus no salário que recebia em 2003. Chegou a afirmar, no entanto, que havia recebido e recusado propostas de Coritiba e Atlético-MG. Preferiu a segurança do São Paulo, apesar de saber que não teria, como treinador de goleiros, o mesmo prestígio dos tempos de técnico.Cuca se esquiva de fazer comentários sobre seu convívio com o ex-goleiro chileno, mas fica claro, para quem acompanha o dia-a-dia do clube, que não são exatamente amigos, que trocam poucas palavras. Rojas, na verdade, andava sem função, porque Haroldo, que trabalha com Cilinho em Barueri, já vinha treinando os goleiros desde a última temporada. E, de acordo com a comissão técnica, não há a necessidade de dois profissionais para exercer essa função."O Rojas não estava satisfeito com a nova função, estava numa situação desgostosa", revelou Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol do clube. "Demos um tempo para que ele reflita se quer ser preparador de goleiros ou se quer ser técnico de alguma equipe."O São Paulo espera que Rojas receba alguma proposta para que possa sair sem constrangimento. A diretoria não pensa em demiti-lo, pois acha que seria ingratidão. Mas, ao mesmo tempo, chegou à conclusão de que não vale a pena mantê-lo trabalhando no CT ao lado de Cuca. Por isso, se o chileno decidir permanecer no clube, os dirigentes vão encaixá-lo em outra área, como ser auxiliar-técnico ou mesmo técnico das categorias de base.Rojas, mesmo que não queira, acaba se tornando uma sombra para Cuca, porque terminou 2003 em alta com a torcida. No jogo contra a Portuguesa, por exemplo, teve seu nome gritado pelos torcedores. E a cena, acreditam os dirigentes, vai se repetir sempre que o time tropeçar em alguma partida. A situação, claro, incomoda Cuca.O ex-goleiro chileno, em ?férias?, não aparece no CT desde sábado, véspera do confronto com a Portuguesa Santista. O auxiliar Milton Cruz, no entanto, adaptou-se à nova comissão técnica e permanecerá normalmente no Morumbi.Para o jogo do fim de semana, contra o América, Cuca promoverá a entrada de Marquinhos no lugar de Vélber. Nesta quarta-feira, João Paulo Diniz roubou a cena ao chegar ao CT num helicóptero. O empresário faz tratamento na perna com os médicos do São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.