São Paulo aguarda resultado do julgamento de Adriano

Atacante será julgado nesta segunda-feira pelo TJD; Muricy Ramalho terá reforços para pegar o Paulista

Redação,

18 de fevereiro de 2008 | 09h37

O técnico Muricy Ramalho terá reforços para o próximo jogo do São Paulo no Campeonato Paulista, contra o Paulista de Jundiaí, nesta quinta-feira, no Morumbi. A principal preocupação do treinador, no entanto, é o atacante Adriano, que será julgado nesta segunda-feira pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paulista de Futebol (FPF) - o julgamento deve começar por volta das 17 horas.   Veja também: Classificação Calendário / Resultados  Marília tira a invencibilidade do São Paulo no Paulistão  São-paulino André Dias critica arbitragem em Marília   Adriano foi enquadrado no artigo 253 do Código de Justiça Desportiva, que cita casos de agressão física dentro de campo. O jogador será julgado por tentar agredir o zagueiro Domingos, do Santos, com uma cabeçada no clássico do último dia 10. O jogador, que acabou expulso pelo lance, pode pegar de 120 a 540 dias de suspensão - o departamento jurídico do São Paulo tentará enquadrar o Imperador num artigo mais brando.   Se for punido, Muricy deve manter Borges e Aloísio como titulares no ataque, com Dagoberto como opção no banco de reservas.   Ainda para o jogo contra o Paulista, Muricy poderá contar com o retorno do polivalente Richarlyson, que cumpriu suspensão na derrota para o Marília por 3 a 2. O zagueiro Miranda e o meia Carlos Alberto, que foram vetados pelo departamento médico para o jogo de domingo, também devem retornar.   Em contrapartida, o São Paulo não poderá contar com o zagueiro André Dias, que foi expulso diante do Marília. Já o lateral Joílson, com uma contusão muscular, deve continuar de fora.   ELEIÇÕES Ainda nesta segunda-feira, a oposição do São Paulo lança a candidatura do ex-judoca Aurélio Miguel, que vai concorrer com o atual presidente Juvenal Juvêncio nas eleições de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCTJDAdrianoFPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.