São Paulo ainda tenta Muricy Ramalho

O São Paulo ainda sonha com Muricy Ramalho como substituto de Emerson Leão, mas Paulo Autuori é uma opção cada vez mais forte como possível novo treinador da equipe. "Antes de pensar em outros nomes, ainda quero fazer uma força para ter o Muricy", disse nesta quinta-feira Juvenal Juvêncio, vice-presidente de futebol. O esforço prometido por Juvenal não significa que o clube aceite pagar a multa de R$ 480 mil que prende Muricy ao Inter de Porto Alegre. "Estamos procurando uma janela para que ele consiga sair de lá. Ainda não desisti dele."A "janela" pode ser o empréstimo de algum jogador ao clube gaúcho em troca da isenção da multa. A estréia ruim do Inter no Brasileiro também pode ajudar o São Paulo. O time perdeu por 2 a 0 para o Botafogo e jogou muito mal. No domingo, vai a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro. E na quarta-feira decide em Jundiaí (SP), contra o Paulista, uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil. A eliminação pode fazer com que o treinador resolva trocar de ares.Enquanto não se resolve a situação de Muricy, o clube aguarda a chegada de Paulo Autuori, que deixou o comando da Seleção Peruana. Autuori tem recebido muitos elogios dos dirigentes do São Paulo. "Ele tem um currículo respeitável, além de qualidade e uma história consistente no futebol", diz o superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha.Apesar dos elogios, o dirigente garante que nenhum contato foi feito pela diretoria. "O Autuori ainda não está no Brasil. Não adianta ter muita pressa, porque mesmo que viesse agora não poderia dirigir o time no jogo de sábado contra o Paraná."O acerto de salário não é problema. Autuori recebia cerca de R$ 100 mil mensais no Peru. E Leão recebia R$ 150 mil no São Paulo. Autuori foi campeão brasileiro pelo Botafogo, em 1995, e campeão da Copa Libertadores, pelo Cruzeiro, em 1997. A presença do São Paulo no torneio continental conta muito a favor de sua contratação. É o que explica Marco Aurélio, que sempre foi um defensor do atual técnico interino, Milton Cruz. "No mercado brasileiro, não vejo ninguém melhor que o Milton. Mas como estamos na Libertadores, precisamos de alguém com mais peso e experiência."Além de Muricy e Autuori, não há nomes em vista. Marco Aurélio descarta algumas possibilidades que foram especuladas nos últimos dias. "O Paulo César Carpegiani está trabalhando em seu clube no Sul (RS Futebol Clube), juntamente com o filho. Não é uma hipótese. O Nelsinho Baptista saiu com a chegada da atual diretoria e não deve voltar agora. E o Péricles Chamusca ainda é muito novo para o São Paulo". E muito parecido com Oswaldo de Oliveira, tudo que o São Paulo não quer no momento.

Agencia Estado,

27 de abril de 2005 | 18h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.