São Paulo: Amaral recua e fortalece Gouvêa

O candidato da oposição à presidência do São Paulo, Paulo Amaral, tomou uma decisão polêmica. Já anunciou a seus aliados que desistiu de concorrer ao cargo com Marcelo Portugal Gouvêa, que busca ficar mais dois anos no poder. Com a derrota na eleição do Conselho Deliberativo, no sábado, Amaral acredita não ter mais chances de superar o rival e, por isso, achou melhor nem seguir na disputa.A Agência Estado apurou que vários de seus correligionários, no entanto, consideram a atitude desrespeitosa até para o nome do clube e trabalham com um plano B: o de indicar outro nome para o pleito, que será na segunda quinzena de abril, mas ainda não teve a data escolhida - a probabilidade maior é de que seja no dia 24. A articulação vem sendo feita em sigilo.Os oposicionistas, que têm mantido contatos freqüentes nos últimos dias, devem divulgar, em breve, o cardeal que lutará pela presidência com Gouvêa. O favorito é José Carlos de Mello Dias, de 64 anos, conselheiro vitalício do clube. Mello Dias é, também, conselheiro do Instituto dos Advogados do Brasil e já trabalhou como diretor jurídico do São Paulo.Embora tenha preferido não falar sobre o tema, Mello Dias e seus amigos do Conselho Deliberativo acreditam que podem "fazer bonito" contra Gouvêa. Sabem, contudo, que a vitória é praticamente impossível. A desistência de Amaral fortalece ainda mais o candidato da situação, que ontem esteve no Morumbi para acompanhar São Paulo x Alianza Lima, pela Libertadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.