Marcelo Endelli/Reuters
Marcelo Endelli/Reuters

São Paulo se acerta com Hernán Crespo para ser o novo treinador do time até fim de 2022

Técnico argentino resolve pendências contratuais e financeiras e aceita receber perto de R$ 1 milhão por mês, divididos por sua comissão técnica

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2021 | 14h23

O São Paulo já tem um novo treinador. O clube anunciou nesta sexta o acerto com o argentino Hernán Crespo para comandar o time. Ele assume no fim do Campeonato Brasileiro, mas já começa a conhecer após o Carnaval as estutruturas do clube do Morumbi. Crespo vai trabalhar com sua própria comissão técnica. O investimento será perto de R$ 1 milhão. Ele ocupa o cargo deixado por Fernando Diniz, demitido há uma semana, juntamente com o diretor Raí.

O argentino assinou contrato válido por duas temporadas. Apesar do acerto, ainda não há uma data definida para o novo comandante assumir a equipe tricolor. O São Paulo tem mais quatro partidas no Brasileirão. Vizolli é quem treina o time para o jogo de domingo, às 20h30, diante do Grêmio, fora de casa.

Crespo terá mais cinco membros de sua comissão contratados pelo São Paulo. Seu auxiliar é Juan Branda. Ele traz ainda para o Brasil um preparador de goleiros, dois profissionais da área física (Alejandro Kolan e Gustavo Satto) e mais um técnico de desempenho. Crespo terá ao seu lado Muricy Ramalho, que voltou para o São Paulo depois de receber convite do presidente Julio Casares. O ex-técnico fará a ponte do futebol com os dirigentes. Será uma espécie de braço-direito para o novo treinador.   

Aos 45 anos, Crespo é um jovem treinador com menos de cem jogos no currículo. Atacante de carreira extensa por clubes italianos, começou a carreira de técnico nesse mesmo país nas categorias de base do Parma. Depois, passou pelo modesto Modena. O retorno à Argentina se deu em 2018, ao receber uma proposta do Banfield. O primeiro trabalho em seu país não foi positivo e terminou depois de quatro vitórias, seis empates e oito derrotas.

O grande salto da carreira do técnico Crespo foi em 2020. O Defensa Y Justicia apostou no treinador para liderar a equipe em sua primeira participação na Copa Libertadores. A campanha terminou na fase de grupos, ao ser superado por Santos e Delfín. Mas o terceiro postou na chave abriu um outro caminho, o da Sul-Americana. E a equipe teve uma ótima campanha.

Comandado por Crespo, o Defensa Y Justicia conquistou o primeiro título internacional da história ao eliminar na caminhada os brasileiros Bahia e Vasco. A conquista foi sacramentada na final em Córdoba, quando fez 3 a 0 com o Lanús. O resultado coloca o clube para a disputa da Recopa Sul-Americana para enfrentar em abril o campeão da Libertadores, o Palmeiras.

A proposta do São Paulo atraiu Crespo tanto pelos valores oferecidos como pela oportunidade de trabalhar em um outro mercado. O treinador ganha pela primeira vez oportunidade em um clube grande e com a chance de liderar jogadores renomados, caso de Daniel Alves. Crespo tem como uma das inspirações na profissão o treinador Marcelo Bielsa, o responsável por levá-lo à Copa do Mundo de 2002 pela seleção argentina.

Antes de selar o acordo com o São Paulo, Crespo tinha como outra possibilidade assumir a seleção chilena na vaga do colombiano Reinaldo Rueda. No entanto, essa oportunidade acabou descartada depois da a equipe contratar o uruguaio Martín Lasarte.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clubefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.