São Paulo anuncia Oswaldo de Oliveira

O diretor de Futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, roubou a cena no vestiário do São Paulo. Iniciou a entrevista dizendo que estava ali para avisar que o nome do substituto de Nelsinho Baptista só iria ser anunciado nesta terça-feira. Percebendo que era o centro da atenções, não resistiu. Confirmou que Oswaldo de Oliveira vai se apresentar nesta terça-feira, às 11 horas no CT da Barra Funda. Com Oswaldinho, assumem o preparador físico Fábio Maceradjian e o auxiliar Edson "Cegonha". Milton Cruz, que era auxiliar de Nelsinho Baptista, e Roberto Rojas, treinador de goleiros, continuam no clube.Barros e Silva confirmou que o elenco do São Paulo será reestruturado. Jogadores como Belletti, Émerson, Gustavo Nery e Adriano devem ser negociados. A diretoria tenta a prorrogação do empréstimo do atacante Reinaldo, que pertence ao Paris Saint-Germain. França deverá se apresentar ao seu novo clube, o Bayer Leverkusen, dia 1 de julho. Barros e Silva confirmou o interesse por Ricardinho. O meia corintiano é uma indicação de Oswaldo de Oliveira, que também deve pedir a contratação de Rincón. O volante colombiano está parado desde que foi dispensado pelo Cruzeiro, no fim do ano passado. Sem a presença de Leco no ambiente, Nelsinho Baptista fez o seu discurso de despedida. "O grupo respondeu à altura. Estou agradecido por tudo de bom que me aconteceu aqui no São Paulo. Saio sem mágoas," Sobre a polêmica alteração que fez, ao substituir Adriano por Souza, disse. "Coloquei o Souza para tentar manter a posse de bola o maior tempo possível com o São Paulo", disse. Além das palavras de Barros e Silva e a perda do título, jogadores e a comissão técnica do São Paulo tiveram motivos de sobra para ficarem irritados no fim da partida. Viram, furiosos, o volante Fabrício fazer firulas, antes do apito final do árbitro Paulo César de Oliveira. Depois, outra irritação. Tiveram de quebrar a porta que dá acesso ao vestiário. Ela tinha sido trancada pelos organizadores da competição.Uma maneira nada sensata de obrigar que os são-paulinos ficassem no gramado para receber a medalha de vice-campeões. No vestiário, uma outra reclamação. Jogadores, torcedores, conselheiros, dirigentes, todos estavam indignados com a falta que originou o gol de Rogério. "O Maldonado não fez falta no Ricardinho. Foi um erro do Paulo César de Oliveira", afirmou Barros e Silva. O lateral-direito Belletti saiu de campo criticando o ataque. "Tivemos chances de fazer 2 a 0 e desperdiçamos. Isso não pode acontecer." O argumento já tinha sido usado pelo atacante Reinaldo no fim do primeiro tempo, "Não entendo o nosso time. O São Paulo faz gol e depois recua. Era para nós termos feito dois gols no primeiro tempo", disse o jogador, que fez o gol do São Paulo e foi um dos destaques da equipe são-paulina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.