Arquivo/AE
Arquivo/AE

São Paulo aposta na técnica do meio-campo para 2010

Léo Lima e Marcelinho Paraíba serão os responsáveis pela mudança do padrão tático da equipe no Paulistão

Marcius Azevedo - Jornal da Tarde,

15 de janeiro de 2010 | 10h43

O torcedor que for ao jogo de domingo contra a Portuguesa no Morumbi verá um São Paulo bem diferente do de 2009. Além de ter mudado o esquema tático (do 3-5-2 para o 4-4-2), o técnico Ricardo Gomes também mexeu no estilo de jogo. Marcelinho Paraíba e Léo Lima serão os principais responsáveis por essa mudança. Em comparação ao time do ano passado, eles vão entrar nos lugares de Renato Silva e Junior Cesar, deixando o meio de campo mais técnico e criativo.

 

A dupla dará uma dinâmica diferente ao jogo do São Paulo. A bola ficará mais tempo no chão, como gostam os admiradores do futebol. Nada de ligação direta com o ataque ou bolas altas para a área, características que marcaram a passagem de Muricy Ramalho pelo Morumbi.

 

Ricardo Gomes até tentou mudar esse estilo de jogo, mas não conseguiu justamente pela ausência de peças para isso. Nos poucos treinos de 2010, porém, já foi possível notar que o São Paulo será uma equipe de toque de bola e com mais opções ofensivas.

 

"É no meio de campo que se decidem os jogos. Quero uma equipe que marque muitos gols, e acredito que este esquema é o mais propício", disse o treinador. "O São Paulo vai jogar de maneira diferente, pode esperar. Na Libertadores os rivais jogam diferente do que vemos aqui no futebol brasileiro. E precisamos nos adaptar."

 

PACIÊNCIA

A diferença já foi notada. "Estamos ficando mais de posse de bola. Ano passado, em várias partidas, estávamos ganhando e queríamos continuar atacando. A gente só queria atacar, atacar... Agora, até pelas características dos jogadores que vieram, é um time que está esperando o momento certo para ir à frente", afirmou o zagueiro André Dias.

 

Mas os jogadores pedem paciência à torcida. Eles acreditam que o time sofrerá um pouco para engrenar, principalmente pela mudança de esquema tático. Há muito tempo o São Paulo vinha jogando com três zagueiros, por isso a defesa é o setor que mais preocupa.

 

"É necessário um tempo, testar em alguns jogos. Se o Ricardo está colocando este sistema é porque tem confiança no elenco. Pedimos um pouco de paciência para a torcida. Vamos encarar a mudança como um desafio", afirmou Jorge Wagner.

 

"Torço para que dê certo, mas espero que todos saibam que uma adaptação não acontece da noite para o dia", disse André Dias.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.