São Paulo aposta na vontade e no exemplo para se acertar

Para Ceni e Muricy Ramalho, a vitória sofrida contra o Audax é o sinal de que o time ainda vai embalar

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

06 de março de 2008 | 09h52

A vitória do São Paulo sobre o Audax Italiano por 2 a 1, de virada, nesta quarta à noite pela Copa Libertadores, marcou a redenção de Adriano e a ressuscitou a crença no time do Morumbi de que a equipe está no caminho certo para jogar bem e vencer os campeonatos que disputa. Para isso, o caminho, no momento, é a força de vontade, para superar as deficiências técnicas.Veja também: Muricy Ramalho reforça voto de confiança em Adriano Adriano comemora gols e agradece o São Paulo Libertadores: Adriano desencanta e São Paulo vence o Audax Classificação Calendário / Resultados  Bate-pronto - Ave, Caesar Hadrianus! Ouça os gols da vitória do São Paulo - transmissão Rádio Eldorado/ESPN 700 AM"O São Paulo tem vencido as coisas sem um craque, sempre com importância ao coletivo. Esses jogadores que chegaram esse ano vão melhorar porque sentiram a vibração da torcida, nesta guerra, no bom sentido, que tivemos com o Audax. A gente espera que os jogadores façam o que fizeram neste jogo. Vibraram e estão de parabéns, porque não estou poupando ninguém. Estamos criando um time", discursa, empolgado, o técnico Muricy Ramalho.Esta opinião do técnico é reforçada pelo goleiro e capitão do time, Rogério Ceni. "Raça e muita vontade de jogar é 70% do necessário para vencer a Libertadores, que é diferente de uma Champions League. O próprio gramado do Morumbi não estava bem, pois a bola quicava toda hora. Na Libertadores, precisamos de jogadores com raça, bons cabeceadores, porque cada jogo é uma decisão".Com a sensação de alívio e felicidade pela vitória desta quarta, os jogadores do time tricolor terão de evitar, agora, a empolgação, considerada a grande vilã dos times de futebol que pregam a modéstia. "Eu acho que este time pode render muito mais. Não vamos achar que está tudo uma maravilha por estar entre os quatro primeiros colocados do Paulista e na liderança do grupo na Libertadores. Ainda temos muito trabalho pela frente", fala Rogério Ceni.EMBALOMas tanto o capitão quanto o técnico ainda não conseguem imaginar quando o time do São Paulo conseguirá repetir o bom momento do ano passado. "É o tempo de trabalho é que faz o time melhorar. Fizemos uma boa partida na Colômbia, e nesta quarta sim, tivemos um grande volume. Tivemos mudanças e, às vezes, até o jogador se adaptar, demora. O jogador sente um pouco a pressão", diz Muricy. A palavra de Rogério Ceni é idêntica. "Estamos trabalhando para chegar num nível de atuação que desejamos. Jogamos 14 jogos e não conseguimos vencer nenhum jogo de forma tranqüila, mas o futebol é assim." A festa pela vitória, porém, já deve terminar nesta quinta-feira mesmo. O time se reapresenta às 15h30 no CCT da Barra Funda para um treino leve, voltando a trabalhar nesta Sexta às 9 horas e depois se concentrando para o jogo de Sábado contra a Portuguesa, pelo Paulistão, às 18h10, em Ribeirão Preto (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.