São Paulo ataca e cobra dívida da CBF

?Estamos rompidos com a CBF e vamos exigir os quase R$ 4 milhões que ela nos deve?. Dessa forma, Marcelo Portugal Gouvêa, presidente do São Paulo, reagiu ao que considera um descaso com o clube. ?Estamos sendo maltratados, pois apesar de consultarmos a CBF há vários dias se poderíamos escalar o Cicinho, o Lugano e o Josué contra o Corinthians, só na sexta-feira à noite tivemos a resposta, que foi negativa?, contou, neste domingo, em entrevista à Rádio Trianon. ?A CBF está nos prejudicando, isso não vai ficar assim?. O dirigente, no entanto, disse que não vai mover nenhuma ação contra a entidade. ?Não vamos entrar numa queda-de-braço gratuita porque vamos perder?, disse. ?Mas nosso relacionamento passa a ser estritamente profissional?, afirmou, adiantando que não convidará ninguém da diretoria da CBF para acompanhar a delegação do time ao Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão. ?Não vamos apoiar mais nada do que a CBF fizer?. De acordo com Gouvêa, os R$ 4 milhões que a CBF deve ao São Paulo referem-se às vezes em que o clube cedeu jogadores para a seleção brasileira ? e mesmo sem poder contar com os atletas, o clube arca com os salários naquele período. ?A dívida existe há três anos, já foi auditada pelo departamento financeiro da CBF, mas ela não quer nos pagar?, afirmou o dirigente. O montante devido pela CBF inclui convocações para as seleções principal, sub-20 e sub-17. Recentemente, Cicinho atuou pela seleção brasileira em jogos das Eliminatórias e na Copa das Confederações, e o volante Denilson, hoje no elenco profissional, ficou mais de um mês a serviço da CBF para a disputa do Mundial sub-17, no Peru ? o Brasil perdeu a final para o México, por 3 a 0. O presidente do São Paulo também criticou o comportamento do STJD, que não deu nenhuma explicação clara sobre a utilização de Cicinho, Lugano e Josué contra o Corinthians. ?Primeiro, o Luiz Sveiter disse que eles poderiam jogar, depois mudou tudo?, observou. ?Esse Tribunal só faz bobagens, por isso não iríamos correr o risco de escalar os três e depois perder pontos e voltarmos para a zona do rebaixamento?.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2005 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.