Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

São Paulo atropela Goiás no Morumbi e se aproxima do Cruzeiro

Time faz 3 a 0 com dois gols nos seis primeiros minutos de jogo e reduz para cinco pontos a diferença para o líder do Brasileirão 

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 22h30

Desta vez foi como manda o figurino. Jogando um futebol eficiente e de forte marcação, o São Paulo bateu o Goiás por 3 a 0 no Morumbi, chegou aos 56 pontos e agora está a cinco do líder do Brasileirão, o Cruzeiro. O placar também garantiu a volta à segunda colocação.

Jogar sabendo o resultado dos rivais não foi uma experiência nova, mas o desfecho do filme precisaria ser diferente da última rodada, quando a chance de diminuir a distância para o líder escorreu pelos dedos no morno empate com a Chapecoense. Seria preciso mais agressividade e movimentação.

O que certamente nem os mais otimistas esperavam é que em seis minutos o Tricolor já estaria com 2 a 0 no placar, resultado que teve a digital decisiva de Michel Bastos. 

Primeiro, aos três minutos, ele cobrou falta que encontrou Edson Silva livre para desviar de cabeça e abrir o placar; em seguida, roubou a bola na saída do adversário e apenas rolou para Luis Fabiano fazer as pazes com as redes – foi seu segundo gol desde a paralisação para a Copa do Mundo, quando sofreu dois estiramentos musculares seguidos e perdeu espaço.

O camisa 7 era o toque de velocidade num time mais pesado graças às ausências de Kaká (suspenso) e Pato (lesionado), mas ficou cristalino que é difícil imaginar Luis Fabiano e Alan Kardec juntos. Apesar do enorme esforço deste para atuar quase como um meia ofensivo, seu futebol rende melhor quando está mais próximo da área.

Atordoado, o Goiás demorou para entender o que estava acontecendo. Sem maiores aspirações no campeonato e longe da moléstia do rebaixamento, o time começou o jogo naquela cadência de apenas esperar o tempo passar e tentar definir o resultado num contra-ataque ou bola parada. Nocauteado duas vezes, demorou para acordar.

Com um calendário pesado até o fim da semana – duelo na quinta-feira com o Emelec nas quartas de final da Copa Sul-Americana e depois para o Criciúma pelo Brasileiro –, o mais natural seria evitar o desgaste excessivo para o time chegar inteiro nos duelos.

Foi exatamente o que os jogadores fizeram, mas sem a apatia que muitas vezes dominava a equipe. O São Paulo seguiu marcando firme e, salvo alguns vacilos no início do segundo tempo, foi pouco incomodado. E quando resolve jogar futebol e ficar ligado, o São Paulo é um time difícil de ser batido, afinal poucos podem desfrutar de tantos talentos individuais.

Faltava ainda a cereja do bolo, colocada por Alan Kardec aos 13 do segundo tempo ao desviar cobrança de escanteio de Michel Bastos e encerrar o jejum de 11 partidas sem marcar. Foi a pá de cal. A partir daí a torcida passou a cantar mais alto e apenas exaltar os jogadores, que seguiram apertando o ritmo e por pouco não transformaram o placar em goleada.

E de tropeço em tropeço, o Cruzeiro foi deixando o São Paulo acreditar e agora vê o Tricolor voltando a pensar na disputa do título, algo pouco factível até pouco tempo. É verdade que o tempo é curto, mas já não é de hoje que os mineiros não conseguem repetir as atuações avassaladoras do primeiro turno. Aos trancos e barrancos, os rivais vão tentando chegar e, aos poucos, estão conseguindo.

Dependendo do que acontecer, o São Paulo pode terminar o domingo a dois pontos da liderança. E, de repente, o campeonato começa a ganhar emoção novamente quando menos se esperava. A pergunta é: Dá tempo do Tricolor chegar?

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 X 0 GOIÁS

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Hudson, Antonio Carlos, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza (Maicon), Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos (Ademilson); Alan Kardec (Osvaldo) e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho.

GOIÁS - Renan; Felipe Macedo (Moisés), Pedro Henrique, Jadson e Lima; Amaral, David (Tiago Real), Thiago Mendes, Esquerdinha e Ramon (Bruno Mineiro); Erik. Técnico: Ricardo Drubscky.

GOLS - Edson Silva, aos dois, e Luis Fabiano, aos cinco minutos do primeiro tempo. Alan Kardec, aos 13 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Bráulio da Silva Machado (SC).

CARTÕES AMARELOS - Antonio Carlos (São Paulo); Erik, Amaral (Goiás).

RENDA - R$ 678.640,00.

PÚBLICO - 31.991 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.