Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

São Paulo bate o Vasco e assume a liderança do Brasileirão após três anos

Estrangeiros decidem para o tricolor em vitória sofrida sobre o cruzmaltino, no Morumbi

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2018 | 17h58

Após três anos, o São Paulo volta a assumir a liderança do Campeonato Brasileiro. Foi no sufoco, com susto e briga até os minutos finais para vencer o Vasco por 2 a 1, no Morumbi e chegar aos 35 pontos, um a mais que o Flamengo. Coube aos estrangeiros Trellez (colombiano) e Rojas (equatoriano) garantirem o resultado positivo e, de certa forma, histórico para o time tricolor.

+ TEMPO REAL - São Paulo 2 x 1 Vasco

+ TABELA - Classificação do Campeonato Brasileiro

A última vez que o São Paulo acabou uma rodada do Brasileirão na liderança foi em 2015, quando no dia 13 de junho derrotou a Chapecoense, pela sétima rodada, e conseguiu ficar no topo da tabela. Animado com a possibilidade de assumir a liderança, o São Paulo começou com tudo e parecia que iria massacrar o time carioca. Logo no primeiro minuto, Militão cruzou para a área, Ricardo tentou cortar, mas chutou em cima de Rojas e o equatoriano fez seu primeiro gol com a camisa tricolor. Os são-paulinos pensaram: “Será mais fácil do que eu imaginava”. Porém, não foi o que se viu no gelado Morumbi.

O Vasco não se abalou com o gol precoce sofrido. O time de Jorginho teve mais a posse de bola, tentou incomodar o goleiro Sidão e só não conseguiu ser mais eficiente pela falta de qualidade de seu ataque. Os cariocas seguravam a bola, tocavam para lá e para cá, mas nada de conseguir finalizar. No outro lado do campo, era exatamente o oposto. O São Paulo era muito mais agudo, mas tão agudo que transformava a ofensividade em afobação. 

Foram pelo menos duas boas chances do time da casa que não deram em nada por pressão para finalizar a jogada. Militão e Reinaldo tinham liberdade pelas pontas e, embora não tivessem chegado tantas vezes na linha de fundo, conseguiram jogar para a área em busca de Diego Souza e Everton, que pouco conseguiram produzir na primeira metade do jogo. 

Na etapa final, o cenário do jogo persistiu e tendo como diferença que, pelo menos uma vez, o Vasco conseguiu acertar um ataque e ser fatal. Aos 8 minutos, Giovanni Augusto acertou belo lançamento para Yago Pikachu, que entrou em velocidade na área e bateu firme, na saída de Sidão, fazendo justiça ao que as duas equipes apresentavam em campo.

O São Paulo claramente sentiu o gol e partiu para o ataque tentando voltar à frente no placar o mais rápido possível. Mas a animação durou pouco tempo e lá estava o Vasco de novo pressionando. Pikachu, de novo, quase virou em um forte chute de fora da área, em que Sidão fez a defesa. Pouco depois, o ex-corintiano Giovanni Augusto acertou belo chute, que passou perto do gol. 

Aos poucos, a torcida ia perdendo a paciência no Morumbi. Em campo, os jogadores corriam contra o relógio e tentavam a todo custo conseguir mais um gol. A principal jogada era os cruzamentos para a área, que não deram o efeito esperado. Aguirre, então, resolveu apelar e apostar tudo no jogo aéreo. Tirou Nenê e Diego Souza para colocar Trellez e Carneiro, bons no jogo pelo alto. Era o caminho das pedras encontrado pelo treinador. 

A atitude, que poderia ser de desespero, se mostrou eficaz. Aos 35, Everton ganhou de Luiz Gustavo e cruzou para a área, onde Trellez saltou mais que a defesa e desviou para o gol. Alívio no Morumbi. O gol transformou o estádio e tirou um peso das costas dos jogadores são-paulinos. Os torcedores voltaram a gritar, cantar o hino e ligaram as luzes do celular para fazer uma festa ainda mais bonita para celebrar a vitória que não foi um espetáculo, longe disso. Mas, enfim, o São Paulo poderá curtir uma semana como líder do Campeonato Brasileiro. 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 x 1 VASCO

São Paulo: Sidão; Éder Militão (Bruno Peres), Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Hudson, Liziero e Nenê (Gonzalo Carneiro); Joao Rojas, Diego Souza (Trellez) e Everton. Técnico: Diego Aguirre.

Vasco: Martín Silva; Luiz Gustavo (Rafael Galhardo), Oswaldo Henríquez, Ricardo Graça e Ramon; Desábato, Andrey, Yago Pikachu (Caio Monteiro), Giovanni Augusto (Kelvin) e Thiago Galhardo; Andrés Rios. Técnico: Jorginho.

Gols: Joao Rojas, a 1 minuto do 1º tempo; Yago Pikachu, aos 9 minutos; Trellez, aos 35 minutos, do 2º tempo.

Cartões amarelos: Oswaldo Henríquez, Luiz Gustavo e Everton.

Público: 53.437 pagantes.

Renda: R$ 1.753.486,00.

Juiz: Braulio da Silva Machado (SC).

Local: Morumbi, em São Paulo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.